Home Notícias BH Em meio à lama e com 13º atrasado, bombeiros de Minas são heróis da vida real

Em meio à lama e com 13º atrasado, bombeiros de Minas são heróis da vida real

Desde de que houve o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, no último dia 25, bombeiros de Minas Gerais assumiram papel central na busca por desaparecidos e no resgate de vítimas da tragédia. Nas redes sociais, internautas de diferentes partes do Brasil elogiam os socorristas, que já foram alçados ao status de “heróis”; como não poderia ser diferente. Apesar disso, a situação não é das melhores para os integrantes da corporação. Eles estão com o 13º salário atrasado e devem receber a gratificação, até segunda ordem, em 11 parcelas.

Os bombeiros têm trabalhado duro em Brumadinho, ao longo dos últimos sete dias, na tentativa de localizar corpos e sobreviventes, o que se torna mais difícil a cada dia. Os últimos números dão conta de 115 mortos e 248 desaparecidos. E, além de lidar com as vidas perdidas, os bombeiros precisam enfrentar um verdadeiro mar de lama, em uma luta contra o tempo, para que familiares possam enterrar seus entes queridos com o mínimo de dignidade.

Mesmo com todas as complicações, um bombeiro em questão tornou-se o rosto “sereno” de todas as equipes que trabalham na cidade. Porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas, e responsável por repassar detalhes das operações em Brumadinho à imprensa, o tenente Pedro Aihara surgiu diante de todo o país demonstrando serenidade e foco. O militar de apenas 25 anos participou de resgates em Mariana, quando outra barragem se rompeu, há cerca de três anos, deixando 19 mortos marcados pela lama da Samarco, mineradora responsável por Fundão.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

A serenidade no olhar de quem vai passar o feriado lendo os artigos atrasados e arrumando quarto🤷🏻‍♂️😢 Foto: @douglasmagno #bombeirosmg #cbmmg

Uma publicação compartilhada por Pedro Aihara (@pedroaihara) em

A edição brasileira do jornal El País foi a responsável por atribuir ao tenente a expressão “um rosto sereno na tragédia de Brumadinho”. Na segunda-feira (28), três dias após o rompimento da barragem, ele demonstrou emoção ao conversar com jornalistas. “A maior dificuldade é ter de lidar com a angústia. Podem ter certeza de que estamos trabalhando como se essas pessoas fossem nossas mães e nossos pais”, disse com os olhos marejados.

A sensibilidade e a força transmitida pelos bombeiros que trabalham em Brumadinho parece, ainda, ter reverberado em uma corrente de boas ações. Quem acompanha os desdobramentos da tragédia certamente se deparou, em algum momento, com fotos que mostram socorristas completamente sujos de lama depois de mergulhar no rejeito que ainda assola a cidade. Uma imagem que mostra três socorristas descansando, exaustos, viralizou pelas redes sociais. Muita gente não sabe, mas os próprios bombeiros precisam limpar seus uniformes e equipamentos depois de dias exaustivos de trabalho. Foi então que apareceu um grupo disposto a lavar os uniformes dos bombeiros, em uma ação que demonstra solidariedade e empatia.

O projeto foi montado pela 1° Igreja Batista de Brumadinho, com apoio da Convenção Batista mineira, que já atuou em outros desastres. Ao todo, são 14 máquinas de lavar e três equipes que se revezam ao longo do dia. Lá, eles recebem as roupas e equipamentos de socorro dos bombeiros cobertos de lama, limpam, lavam, embalam e os devolvem dobrados e organizados.

Grupo lava roupas e limpa material de busca dos bombeiros (Divulgação/Defesa Civil)

E a ajuda, que surge de todos os lados, também conta com o auxílio de amigos de quatro patas. Cães de todo o Brasil foram levados a Brumadinho para fazer trabalhos de busca ao lado dos bombeiros. O border collie Thor, de 5 anos, é um deles. O pet recebeu, inclusive, uma homenagem do parceiro que o acompanha há seis meses, o sargento Leonardo Costa. “Por ser um cão de dupla função, ele já encontrou diversas pessoas vivas em outros trabalhos. E em Brumadinho já achou muitos corpos de baixo dessa lama toda”, contou o militar.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

“Eu sou o sargento Leonardo, esse aqui é o Thor. O Thor tem cinco anos e tá trabalhando muito, já encontrou um monte de vítimas por aí debaixo dessa lama. Agora ele vai descansar, tomar um suplemento vitamínico que os médicos veterinários vão passar pra ele e amanhã volta a trabalhar. Eu já perdi a conta de quantas pessoas ele achou já. Infelizmente, poucas vivas. Esse cão aqui já foi para varias missões comigo. Já esteve em Mariana, Herculano, Sardoá. O Thor trabalha muito comigo. Só hoje já fomos lá no pontilhão e perto do ônibus. Lugares de acessos muito difíceis.” #SPinvisivel #SP Essa semana estamos em Brumadinho contando histórias para a campanha #BrumadinhoInvisivel. Contribua no catarse.me/brumadinhoinvisivel (LINK NA BIO) para conseguirmos contribuir com a reconstrução da cidade! ​

Uma publicação compartilhada por SP Invisível (@spinvisivel) em

A corrente do bem que se formou em prol das vítimas da tragédia, em torno dos bombeiros, reafirma a importância do trabalho desempenhado pelos socorristas. Mesmo com o 13º salário atrasado, eles demonstram um profissionalismo ímpar que inspira a quem acompanha os desdobramentos do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho. Mais do que isso, mostram que são verdadeiros heróis da vida real. E, se alguém é capaz de duvidar, basta ir até a cidade para ver, em meio à lama, a gratidão direcionada a eles.

CBMMG/Divulgação

Roberth Costa

Roberth Costa é publicitário, repórter e editor no Bhaz.

Comentários