Home NotíciasMinas GeraisMinas pode receber ‘tempestade severa’ nas próximas horas

Minas pode receber ‘tempestade severa’ nas próximas horas

Minas pode receber 'tempestade severa' nas próximas horas

Uma tempestade severa, com registro de chuva torrencial, raios e vendaval pode atingir Minas Gerais nas próximas 3h – ou seja, até por volta das 20h desta quinta (6). O alerta foi feito pela Defesa Civil Estadual. O comunicado vale para mais de 20 cidades mineiras e não inclui Belo Horizonte.

A previsão contempla as mesorregiões Noroeste, Oeste, Central, Sul de Minas, parte da Zona da Mata e entre as porções lestes do Vale do Jequitinhonha, Vale do Mucuri e Vale do Rio Doce.

As cidades que poderão ser atingidas pela tempestade severa, segundo a Defesa Civil de Minas, são as seguintes: Ilicínea, Guapé, Cristais, Campo belo, Santo Antônio do Amparo, Bom Sucesso, Oliveira, Lavras, Nepomuceno, Boa Esperança, Piumhi, São Francisco de Paula, Santana do Jacaré, Aguanil, São Sebastião da Estrela, Capão Cumprido, Barreiro, Cana Verde, Porto dos Mendes, Boticão, Coqueiral, Albertos, Pontevila, Morro de Ferro, Desterro de Minas, Aguadinha e Passa Tempo.

Mais cedo, o órgão também havia alertado para a possibilidade de um vendaval atingir outras cidades do Estado.

Mais tarde, outras cidades foram contempladas e novo alerta, válido para até 19h. “Alerta de tempestades severa, com chuva intensa, raios, granizo e vendaval, para as próximas 2h: São Cândido, Vargem Alegre, Bugre, Iapu, Cordeiro de Minas, Entre Folhas, Vale Verde de Minas, Ipaba, Ipatinga”, afirmou o órgão às 16h50.

Tempestade em BH

Apesar do alerta estadual não valer para a capital, a Defesa Civil de Belo Horizonte emitiu um comunicado sobre a possibilidade de uma tempestade de até 100 mm de chuva atingir a cidade nas próximas horas.

+ Chuva ‘extremamente forte’ atinge BH e vias são bloqueadas; confira

Na tarde desta quinta (6), em pouco mais de uma hora, uma chuva considerada “extremamente forte” causou reflexos na capital.

Ano de chuvas intensas

O começo do ano em Belo Horizonte está com muita chuva e devastação. Janeiro foi o mês mais chuvoso de todos os tempos na capital. De acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), foram 935,2 milímetros de precipitação, o que representa mais da metade da média esperada para todo o ano de 2020: 1.602,6 milímetros.

Fevereiro também chegou com força e somente nos primeiros cinco dias as regiões Centro-Sul, Noroeste e Oeste registraram mais da metade do volume esperado para todo o mês.

Confira o acumulado de chuvas (mm) em fevereiro até às 17h dessa quarta-feira:

  • Barreiro – 80,0 (44%)
  • Centro Sul – 158,2 (87%)
  • Leste – 72,6 (40%)
  • Nordeste – 45,6 (25%)
  • Noroeste – 130,8 (72%)
  • Norte – 30,0 (17%)
  • Oeste – 153,6 (85%)
  • Pampulha – 90,4 (50%)
  • Venda Nova – 47,8 (26%)

Chuva em Minas

O número de mortes causadas pela chuva em Minas Gerais chegou a 69, segundo dados divulgados pela Defesa Civil Estadual. As chuvas já afetaram cerca de 53,2 mil pessoas no Estado, entre desalojados, desabrigados e feridos. Ao todo, 196 cidades seguem em situação de emergência por conta das tempestades.

Desalojados e desabrigados

De acordo com glossário produzido pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, há uma diferença técnica entre os termos, entenda:

Desalojado: Pessoa que foi obrigada a abandonar temporária ou definitivamente sua habitação, em função de evacuações preventivas, destruição ou avaria grave, decorrentes do desastre, e que, não necessariamente, carece de abrigo provido pelo Sistema.

Desabrigado: Desalojado ou pessoa cuja habitação foi afetada por dano ou ameaça de dano e que necessita de abrigo provido pelo governo.

Avatar

Rafael D'Oliveira

Rafael.doliveira@bhaz.com.br

Comentários