Home NotíciasBHGoverno de Minas confirma 1ª morte por coronavírus no Estado: Moradora de BH de 82 anos

Governo de Minas confirma 1ª morte por coronavírus no Estado: Moradora de BH de 82 anos

idosa morte corona vírus Minas

A SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais) confirmou, na manhã desta segunda-feira (30), a primeira morte provocada pela Covid-19 no Estado. Trata-se de uma mulher de 82 anos, que estava internada no hospital Biocor, em Nova Lima, na região metropolitana de BH. O óbito associado à doença já havia sido confirmado pelo infectologista do hospital e presidente da Sociedade Mineira de Infectologia, Estevão Urbano.

+ Mulher que testou positivo para coronavírus morre em Nova Lima e família desabafa: ‘Respeitem a dor’

A idosa tinha outras comorbidades além da Covid-19, como doença cardiovascular crônica, diabetes e pneumopatia crônica. De acordo com a secretaria, a mulher estava internada no hospital desde o dia 21 de março, com quadro de febre, tosse e desconforto respiratório.

Ela foi transferida para a UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) no dia 23 deste mês, mas não resistiu ao vírus e faleceu nesse domingo (29). A mulher era moradora de Belo Horizonte.

Além da morte confirmada, Minas tem ainda 23 óbitos associados ao novo coronavírus em investigação. Até o momento, são 29,7 mil casos suspeitos no Estado e 261 confirmados.

(Divulgação/SES-MG)

Desabafo

Em um texto publicado no Facebook, a nora da idosa desabafa em relação a perda da idosa. “Só tenho uma coisa a dizer: espero, fortemente, que não passem pelo que minha família está passando”, diz trecho da postagem publicada pelo portal G1.

Confira o texto na íntegra:

“Para os que estão defendendo acabar o isolamento.

Para os que estão defendendo o comércio de volta. Porque a economia vai “quebrar”…

Para os questão defendendo as falas contra a ciência.

Para os que estão defendendo que alguns milhares de mortes por coronavírus não significam nada frente a quebradeira da economia.

Só tenho uma coisa a dizer: espero, fortemente, que não passem pelo que minha família está passando!

Quanta dor você ver um ente amado sozinho em um leito de uti, isolada, se sentindo abandonada, pq um vírus maldito seifou seus pulmões lhe tirando o oxigênio e sua imensa alegria.

Espero que não tenham nunca que ficar em casa inerte, enquanto o corpo de seu familiar está sendo cremado sem que nenhum parente possa se despedir e homenagear.

Quanta tristeza, meu Deus!!!!

Reflitam, repensem, se coloquem no lugar de tantas famílias que estão passando o que a nossa família está passando.

Respeitem a dor de tantas pessoas. Gostaria imensamente que os governantes fossem mais respeitosos com cada vida seifada e sufocada pelo coronavírus.

Sr. Ministro Mandetta se mantenha técnico e firme, não se deixe abater por ignorância. Mais amor e mais empatia”.

Brasil

O Ministério da Saúde divulgou uma nova atualização nesse domingo (29) dos dados sobre o novo coronavírus (Covid-19), no Brasil. O número de mortes chegou a 136, 22 a mais do que o número anunciado pela pasta nesse sábado (28), quando foram registrados 114 óbitos.

São Paulo concentra 98 do total de mortes, seguido por Rio de Janeiro (17), Ceará (cinco) e Pernambuco (cinco), Paraná (dois), Rio Grande do Sul (dois), Santa Catarina (um), Goiás (um), Distrito Federal (um), Rio Grande do Norte (um), Piauí (um) e Amazonas (um). Com 22 novas mortes, foi o maior resultado diário registrado desde o início, juntamente com o de sábado, que teve o mesmo número.

Em relação ao perfil das pessoas que morreram, 39,2% eram mulheres e 60,8%, homens. Mantendo o padrão identificado ao longo da semana, 90% tinham mais de 60 anos e as doenças crônicas mais associadas foram cardiopatias, diabetes, pneumopatia e condições neurológicas.

Os casos confirmados da doença aumentaram de 3.904 para 4.256. O resultado de mais 352 pessoas infectadas marcou um crescimento de 9% em relação ao total de sábado. O total, contudo, foi menor do que o registrado em dias anteriores, quando os novos casos ficaram entre 482 e 502.

Em entrevistas à imprensa, durante a semana, a equipe do Ministério da Saúde afirmou que era esperado um crescimento diário de até 33%. Em comparação com o início da semana, quando havia 1.891 casos, o total representa uma ampliação de 225%.

Os Estados com mais casos foram São Paulo (1.406), Rio de Janeiro (558), Ceará (314), Distrito Federal (260) e Minas Gerais (205). A menor incidência está em unidades da Região Norte, como Amapá (quatro), Rondônia (seis), Tocantins (nove) e Amazonas (14).  

O índice de letalidade, que começou a semana abaixo de 2%, atingiu 3,2% com o balanço de hoje. Na distribuição por Estados, os mais altos são em São Paulo (6,8%), Pernambuco (6,8%), Rio de Janeiro (2,4%), Goiás (1,7%) e Rio Grande do Norte (1,5%). O número de hospitalizações em razão do novo coronavírus chegou a 625.   

Em todo o mundo, o painel de monitoramento da Organização Mundial da Saúde (OMS) registra hoje 638.461 casos e 30.105 óbitos, em 202 países. Os Estados Unidos são o país com mais casos confirmados (103.321), seguidos por Itália (94.472), China (82.356), Espanha (72.248) e Alemanha (52.547).

Com Agência Brasil

Rafael D'Oliveira

Rafael D'Oliveira

Repórter do BHAZ desde janeiro de 2017. Formado em Jornalismo e com mais de cinco anos de experiência em coberturas políticas, econômicas e da editoria de Cidades. Pós-graduando em Poder Legislativo e Políticas Públicas na Escola Legislativa.

Comentários