Home NotíciasBrasilMédico de 32 anos morre de Covid-19 após ajudar pacientes da doença em SP: ‘Fiquem em casa’

Médico de 32 anos morre de Covid-19 após ajudar pacientes da doença em SP: ‘Fiquem em casa’

medico covid sp

Um médico de 32 anos, que estava trabalhando no combate ao novo coronavírus, morreu na segunda-feira (20) em decorrência da Covid-19. Frederic Jota Silva Lima trabalhava em UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) na cidade de São Paulo e em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo.

Por meio de nota, a APS Santa Marcelina, associação que administra a UPA 26 de agosto, confirmou a morte e manifestou sentimentos à família do médico. “A Família Marcelina expressa suas condolências à família e sua equipe de trabalho, nesse momento de luto”, diz o comunicado.

Leia mais: ‘Achei que o vírus fosse fake’, admite jovem antes de morrer por Covid-19

Frederic trabalhava como médico clínico na UPA em São Bernardo do Campo desde novembro de 2018. Em entrevista ao Jornal Hoje, da TV Globo, familiares e amigos do médico afirmaram que ele não tinha problemas de saúde e nunca tinha tido doença pulmonar.

Nas redes sociais, colegas, amigos e familiares de Frederic lamentaram a morte do profissional da saúde. Um colega de trabalho do médico fez um apelo no Facebook, pedindo que as pessoas respeitem o isolamento social e não politizem a situação.

“Parem … parem… nós já destilamos ódio demais por políticos que não estão nem aí pra gente . Estamos todos sofrendo, vocês aí em casa sem ganhar o pão de cada dia e nós aqui na linha de frente vendo gente sofrer, morrer sozinho. Nosso SUS já trabalhava no limite em condições normais, imagine agora com essa demanda. Depois que isso passar voltamos a discutir e argumentar sobre política. Agora não!! “, escreveu o médico.

Leia mais: Técnico de enfermagem do João XXIII morre de Covid-19 em BH

No Facebook, o prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando (PSDB), que chegou a ser internado com Covid-19, lamentou a morte e pediu que a população fique em casa.

“À família e amigos, meus sinceros sentimentos e pêsames. Seguiremos na luta incansável. É primordial que todos façam a sua parte e fiquem em suas casas. Vamos nos proteger e cuidar dos nossos entes queridos. Fiquem em casa. Nada é mais importante do que a nossa vida”, escreveu.

Sofia Leão

Sofia Leão

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários