Home NotíciasCoronavírusPico de Covid-19 é adiado para junho em Minas e nova previsão aponta menos infectados

Pico de Covid-19 é adiado para junho em Minas e nova previsão aponta menos infectados

Isolamento da sociedade contribui para adiamento do pico

A projeção do pico do novo coronavírus em Minas Gerais foi adiada para o começo de junho. A informação foi divulgada pelo secretário de Saúde do Estado, Carlos Eduardo Amaral, nesta quarta-feira (22).

O titular da pasta ainda disse que Minas não se negaria a receber pacientes de outras partes do país para tratar a Covid-19 (veja abaixo).

Leia mais: Noiva receberá indenização por ‘maquiagem ruim’ no dia do casamento

“Baseado em nosso isolamento e adesão da sociedade temos nova curva do pico para 3 de junho, um pouco mais pra frente do que seria em 23 de maio”, disse. O número de infectados pela enfermidade também diminuiu e agora a previsão são de 3.583 pacientes.

O secretário ressaltou que a mudança na projeção do pico é consequência das medidas adotas no Estado. “Isso mostra que, em Minas, estamos efetivamente conseguindo alongar a curva e projetá-la por mais tempo”, disse.

Leia mais: Região de Minas atinge 100% de ocupação de leitos

Minas Gerais, segundo a SES (Secretaria de Estado de Saúde), tem 1.283 confirmações da Covid-19, com 47 óbitos e 78 mortes em investigação. A pasta já descartou 325 mortes pela doença.

Durante a coletiva foi informado que 76 pessoas estão internadas em leitos de terapia intensiva no Estado. Nos leitos clínicos os números de pacientes com suspeita da Covid-19 é “pequeno”, segundo o secretário, mas a quantidade não foi revelada.

Pacientes
de outros Estados

Ao ser
questionado se Minas Gerais poderia receber pacientes de outros para tratarem da
Covid-19, o secretário deu a entender que sim.

“Não
tivemos solicitação ainda, pois a maioria [dos Estados] está ampliando os
leitos. De uma forma geral, nunca negaríamos de atender ou socorrer, desde que
possamos fazer”.

A logística do transporte destes pacientes poderia ser um fator dificultador, porém o secretário afirmou que há condição deles virem para Minas. “Se fizer necessário socorrer outro Estado, estaremos à disposição, desde que nós tenhamos condições para isso”.

Vitor Fórneas

Vitor Fórneas

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política.

Comentários