Home NotíciasCoronavírusZema anuncia cinco novos hospitais regionais para o tratamento da Covid-19: ‘Não queremos covas’

Zema anuncia cinco novos hospitais regionais para o tratamento da Covid-19: ‘Não queremos covas’

hospitais minas covid-19 coronavirus

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), informou na tarde desta quarta-feira (29) que serão construídos quatro hospitais regionais no Estado para o combate da Covid-19. Os centros de saúde se somam à estruturação do centro de saúde regional de Governador Valadares, no Rio Doce, que já havia sido divulgado.

“Não queremos covas, queremos que as pessoas tenham condições de serem cuidadas”, ressaltou Zema.

Leia mais: Brasil passa da marca de 1,5 milhão de casos confirmados de Covid-19; mais de 60 mil morreram

Os quatro novos hospitais serão erguidos em Divinópolis, na região Centro-Oeste; em Conselheiro Lafaiete, na região Central; em Sete Lagoas, também na região Central; e em Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri.

Os recursos para a ampliação do sistema de saúde em Minas Gerais somam R$ 645 milhões. O orçamento foi disponibilizado pela Vale e faz parte de um acordo entre o Estado e a mineradora por causa das tragédias relacionadas à rompimento de barragens. 

O chefe do Executivo mineiro anunciou ainda que o hospital de campanha construído no Expominas está concluído. O espaço tem 800 leitos, sendo que 100 deles estão aptos para a realização de atendimentos de alta complexidade.

Leia mais: Covid-19: Carros poderão circular dentro de shopping em drive-thru inusitado; medida divide opiniões

O governo precisa, no entanto, celebrar os contratos de serviço. “Na capacidade máxima, o Hospital de Campanha terá custo de R$ 20 milhões. Caso opere abaixo da capacidade máxima, esse custo é menor. Com toda a certeza, teremos condições de ultrapassar o período crítico do (novo) coronavírus”, informou o governador.

Reforma em hospitais
da capital

O mandatário informou ainda que serão feitas adaptações e melhorias em centros de saúde situados capital mineira por causa da pandemia da Covid-19.

O hospital Eduardo de
Menezes receberá uma rede elétrica adequada, climatização, além de 12 leitos de
UTI (Unidade de Terapia Intensiva). O Hospital Júlia Kubitschek vai abrigar 40
novos leitos e as obras do CTI (Centro de Tratamento Intensivo) serão
finalizadas.

O Galba Veloso vai
passar por um processo de revitalização da área interna. Por último, o hospital
do Ipsemg (Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais) ganhará
16 leitos e terá o CTI reformado.   

Situação da Covid-19
em Minas

O mais novo boletim do Governo de Minas, divulgado hoje, mostra o avanço do coronavírus no Estado:

  • 80 óbitos (aumento de 12,6% em relação ao último boletim)
  • 95 óbitos em investigação (aumento de 7,9%)
  • 1.758 casos confirmados (aumento de 6,6%)

O governador admitiu que houve um aumento no número de casos da enfermidade em Minas Gerais. Mesmo assim, ele considera que não há motivo para pânico.

“Apesar de ontem e antes de ontem termos um aumento no número de óbitos no Estado, a situação continua sobre controle, não estamos vendo nada de anormal em todos os dados. A utilização das UTIs, que é fator crítico, continua em 4%. Ou seja, se tivermos mineiros precisando ser atendidos, teremos leitos disponíveis”, disse Romeu Zema.

Reforce a proteção contra o vírus

A SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais) orienta que a população tome algumas medidas de higiene respiratória para evitar a propagação da doença, são elas:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Aline Diniz

Aline Diniz

Editora do BHAZ desde janeiro de 2020. Jornalista diplomada pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) há 10 anos e com experiência focada principalmente na editoria de Cidades, incluindo atuação nas coberturas das tragédias da Vale em Brumadinho e Mariana. Já teve passagens por assessorias de imprensa, rádio e portais.

Comentários