Home NotíciasCoronavírusPulso firme de Kalil no isolamento e ‘números mais baixos’ em BH são destacados por Mandetta

Pulso firme de Kalil no isolamento e ‘números mais baixos’ em BH são destacados por Mandetta

Mandetta Kalil

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta destacou na noite deste sábado (9), em entrevista à Globo News, a condução do prefeito Alexandre Kalil (PSD) no combate ao coronavírus. Para ele, o pulso firme do chefe do Executivo municipal é um dos motivos pelos quais a capital mineira está com um menor número de casos entre as grandes cidades brasileiras.

“Em Belo Horizonte, o prefeito levou isso de uma maneira muito intensa, de uma maneira muito dura com sua sociedade, e Belo Horizonte está com números mais baixos”, disse Mandetta.

Leia mais: Zema e Kalil se bicam na pandemia de olho nas eleições municipais

Até este domingo (10), Belo Horizonte tem 26 mortes em decorrência de Covid-19 e 947 pessoas diagnosticadas com a doença, segundo Informe Epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).

Em seguida, o ex-ministro voltou a defender o isolamento social. “Tem sim que fazer uma redução importante da mobilidade social. Tem sim que as pessoas colaborarem e ficarem em casa para evitar a velocidade do contágio”, disse. 

Reabertura gradual do comércio

Leia mais: Cruzeiro pede doações a torcedores para quitar dívida milionária

A prefeitura de Belo Horizonte avalia a possibilidade de reabertura gradual do comércio ainda este mês, porém, para que isso seja viável, é considerado essencial que a população continue aderindo ao isolamento social até a data.

“O grupo tem a perspectiva de flexibilização em 25 de maio, a depender do comportamento da população. O controle da pandemia é 20% do poder público, que se desgasta, apanha, toma buzinaço. Os outros 80% é da população, de quem pode ficar em casa, usa máscara e tem compaixão e solidariedade. É disso que o povo precisa: de gente não egoísta que olha pro próprio umbigo e que só sai à rua por que precisa”, disse.

Além da cooperação da população, Kalil citou que outros critérios serão levados em consideração para a retomada do comércio. “Vai depender da curva [de casos], da ocupação dos leitos. É complexo, mas é o que o grupo me autorizou a falar. Deus nos ajude e abençoe. Vamos continuar atentos e vamos sair da melhor maneira possível”, explicou o prefeito.

Comentários