Home NotíciasBrasilDo antifascismo ao bolsonarismo: Veja os protestos que tomaram o Brasil no fim de semana

Do antifascismo ao bolsonarismo: Veja os protestos que tomaram o Brasil no fim de semana

manifestacoes pelo brasil

Nesse domingo (31), São Paulo foi palco de duas manifestações que terminaram em confronto violento com a PM (Polícia Militar). Atos contra o racismo e também de apoio ao presidente da República pipocaram durante o fim de semana.

Na avenida Paulista, um grupo formado por torcidas organizadas, do Flamengo e do Corinthians, fez frente a um bando de manifestantes pró-Bolsonaro. A hostilidade entre as os dois lados terminou em confronto envolvendo policiais militares.

Leia mais: Garotinho de 4 anos encanta a web e vídeo com ‘surpresa’ viraliza

Nas redes sociais, circulam imagens mostrando a repressão policial contra o grupo de torcedores. A polícia usou bombas de gás lacrimogênio, balas de borracha e cassetetes para conter os manifestantes (veja o vídeos abaixo).

Leia mais: Jornalista da CNN faz comentário absurdo sobre homossexuais

Diferença no tratamento

Alguns internautas destacaram, nas redes sociais, que a PM tratou de maneira desigual os manifestantes pró-Bolsonaro, daqueles que estavam contra o governo. Em um dos vídeos, por exemplo, uma mulher com um taco de beisebol ameaça outras pessoas, enquanto é escoltada sem violência por um policial.

Qual a motivação?

Os coletivos antifascistas dos clubes foram para as ruas em defesa da democracia. A manifestação, convocada pela Gaviões da Fiel, contou também com gritos e bandeiras contra: o fascismo, o racismo e o presidente Bolsonaro.

Em outras cidades, como Rio de janeiro e Porto Alegre, coletivos de torcidas também protestaram (veja os vídeos abaixo).

Os 300

Outra manifestação que chamou a atenção no fim de semana foi a do acampamento “300 do Brasil”, que aconteceu na madrugada de domingo (31), em Brasília. Com tochas na mão, o grupo marchou em frente ao STF (Supremo Tribunal Federal). O ato foi comparado a uma manifestação nazista.

Liderados pela influenciadora e apoiadora de Jair Bolsonaro, Sara Winter, o coletivo publicou ameaças relacionadas aos ministros do STF, inclusive com o uso de armas. O ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, chegou a comentar o ato, que reuniu poucas dezenas de pessoas.

“Tão loucos mas, ainda bem, tão poucos. O único inverno chegando é o das quatro estações”, escreveu Moro.

Ato pró-Bolsonaro em Brasília

Também nesse domingo, apoiadores do presidente se reuniram em Brasília e foram acompanhados pelo próprio Jair Bolsonaro. Na ocasião, o mandatário andou de cavalo em meio aos manifestantes e cumprimentou os apoiadores, sem o uso de máscaras.

+ Sem máscara, Bolsonaro participa mais uma vez de ato que pede fechamento do STF

A atitude de Bolsonaro contraria as orientações da OMS (Organização Mundial de Saúde). O uso da máscara é essencial para frear a disseminação da Covid-19.

Contra o racismo policial

No Rio de Janeiro, manifestantes se reuniram para protestar contra a violência policial, especialmente contra os negros. Uma das imagens que marcou o ato foi a de um policial apontando um fuzil para um jovem desarmado (veja abaixo).

Guilherme Gurgel

Guilherme Gurgel

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco nas editorias de Cidades e Variedades no BHAZ.

Comentários