Home NotíciasBHRisoleta Neves atinge 100% de leitos ocupados destinados à Covid-19

Risoleta Neves atinge 100% de leitos ocupados destinados à Covid-19

risoleta neves

O Hospital Risoleta Tolentino Neves atingiu, pela primeira vez, 100% de ocupação dos leitos de CTI destinados à Covid-19, nesta segunda-feira (15). Mesmo não sendo referência no atendimento à pessoas com a doença, o local é um “termômetro” da capital, segundo infectologista. Ações já estão sendo pensadas para contornar a situação, que é considerada preocupante.

Segundo o boletim divulgado pela SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais), nesta segunda-feira (15), Belo Horizonte tem 3.420 casos confirmados e 67 mortes causadas pelo novo coronavírus (saiba mais aqui). No total, em Minas Gerais, são 21.728 infeções e 481 mortes pela doença.

Leia mais: ANS decide se planos de saúde continuam obrigados a cobrir exame de Covid-19

Mônica Costa, Diretora Técnico-Assistencial do Risoleta Neves, diz que a ocupação máxima dos leitos, pela primeira vez, acendeu um alerta interno no hospital. São 11 leitos de CTI para pacientes com o novo coronavírus, os quais já estão todos ocupados. Além disso, o local possui 24 leitos de enfermaria para a Covid-19, que ainda não estão lotados.

O que diz o hospital?

“A nossa estrutura para a Covid-19 é pequena, pois somos um local de retaguarda, que não é destinado à doença. Porém, é significativo o que está acontecendo. Já estamos planejando uma possível abertura de novos leitos, mas nada certo até o momento”, explica a diretora-assistente do hospital.

Leia mais: Fifa anuncia o calendário da Copa do Mundo do Catar, em 2022

Costa ainda explica que, desde a semana passada, está acompanhando o crescimento no número de casos. “Não só em BH, mas no Estado todo. Como BH, atualmente, é o grande centro de referencia para o paciente crítico em Minas, muitos doentes vêm para a capital. Outros municípios não têm a estrutura para receber tais pacientes, o que acaba ocupando ainda mais leitos”, relata.

Por meio de nota (leia abaixo na íntegra), o hospital diz que o Comitê Interno de Enfrentamento à Covid-19 do Risoleta vem acompanhando “o crescimento de casos do novo coronavírus em Minas Gerais e em BH, mantendo contato constante com os gestores municipais e estaduais de saúde, além da análise sistemática da situação do próprio Risoleta”.

O hospital afirma que a maior preocupação “é conciliar a assistência aos pacientes com suspeita/confirmação de Covid sem deixar de atender às outras demandas – por sermos um hospital geral, com Pronto-Socorro e Maternidade abertos 24 horas/dia”.

Preocupação

O infectologista Unaí Tupinambás reforça que, mesmo não sendo um hospital de referência para a Covid-19, o local é um “termômetro”, já que atende pacientes de diversas cidades. “É com muita preocupação que vemos isso. O índice de ocupação tem aumentado de forma exponencial. É um sinal claro de que a epidemia realmente chegou à capital”, alertou.

“Temos que ver quais os próximos passos das autoridades. Fato é que uma das ferramentas mais potentes é o isolamento social, que tem caído muito. O que não podemos é colapsar o sistema saúde. Não são somente as vítimas da Covid-19, as outras doenças continuam acontecendo da mesma maneira”, relatou o infectologista.

Segundo última boletim divulgado pela PBH (Prefeitura de Belo Horizonte), nessa sexta-feira (12), a taxa de ocupação dos leitos de UTI para a Covid-19 chegou a 74%. Já as enfermarias destinadas para a doença, estão com 58% dos leitos ocupados.

“A expectativa é que chegue a 80% de ocupação durante esta semana. De acordo com relatos de colegas, a situação já está complicada em alguns locais. O aumento exponencial dos casos pode nos levar a medidas mais rigorosas para controlar a doença”, completa o infectologista.

Nota do Risoleta Neves

Neste momento, os 11 leitos de CTI destinados a pacientes suspeitos/confirmados de Covid-19 estão 100% ocupados. Ressaltamos que esse número pode mudar a qualquer momento com a alta de usuário para enfermaria Covid ou transferência para outros hospitais de referência.

Não somos referência na rede de BH para casos do novo coronavírus e esses leitos de CTI são de retaguarda para a demanda de pacientes que chegam o Risoleta e apresentam necessidade de terapia intensiva.

O Comitê Interno de Enfrentamento à Covid-19 do Risoleta vem acompanhando o crescimento de casos do novo coronavírus em Minas Gerais e em BH, mantendo contato constante com os gestores municipais e estaduais de saúde, além da análise sistemática da situação do próprio Risoleta. Nossa preocupação é conciliar a assistência aos pacientes com suspeita/confirmação de Covid sem deixar de atender às outras demandas – por sermos um hospital geral, com Pronto-Socorro e Maternidade abertos 24 horas/dia.

Diante de um agravamento da situação, estudamos junto aos gestores de saúde do município a viabilidade de abertura de mais leitos no próprio Risoleta .”

Vitor Fernandes

Vitor Fernandes

Repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva da UOL.

Comentários