Sobrinhos são liberados após serem feitos reféns pelo tio

homem mata irmã grávida sobrinhos reféns
Ainda não se sabe o que motivou o crime (Real Publicação/Reprodução)

ATUALIZAÇÃO: O homem foi preso após quase quatro horas de negociações. Confira: https://tinyurl.com/y5wre8b7

Um homem de 30 anos esfaqueou e matou a irmã nesta quarta-feira (14) no Centro de Igarapé, na região metropolitana de Belo Horizonte. Após o primeiro crime, o homem ainda manteve dois sobrinhos, uma menina de 11 anos e um menino de 4, como reféns na casa onde moravam, segundo a PM. Após ação policial, as duas foram libertadas e o suspeito acabou preso.

De acordo com a PM, militares foram acionados, por volta das 13h, em uma ocorrência de vias de fato. Quando chegaram ao local, se depararam com uma mulher sendo socorrida por populares, após ser esfaqueada. Ela foi levada com vida para uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento), mas não resistiu aos ferimentos.

O suspeito da matar a mulher é irmão dela. Após o crime, o homem pegou as duas crianças, filhas da vítima, e as fez de refém. Em imagens cedidas pelo site Real Publicação, é possível ver a criança mais nova sendo segurada pelo suspeito por uma das janelas da casa. Essa foi a primeira criança a ser liberada do cárcere privado.

A segunda criança foi liberada momentos após a primeira, com negociações feitas pela polícia. A duração do resgate foi de cerca de 2 horas e 30 minutos. O homem foi levado pela PM e está a disposição da Justiça. Até o momento, ainda não se sabe a motivação dos crimes.

Inicialmente, a PM informou que a mulher que morreu estaria grávida. No entanto, ainda não há confirmação a respeito da informação. Uma coletiva de imprensa sobre o caso será realizada hoje às 17h.

Edição: Roberth Costa
Vitor Fernandes
Vitor Fernandesvitor.fernandes@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva do Portal UOL. Com reportagens vencedoras nos prêmios CDL (2018 e 2019) e Sindibel (2019).

Comentários