Atlético deixa escapar vitória e derrapa – de novo – na briga pelo título

atlético galo empata grêmio arena brasileirão
Atleticanos lamentam empata levado no fim da partida contra o Grêmio (Digue Cardoso/Agência Freelancer/Folhapress)

O Galo perdeu uma – nova – boa chance de se aproximar do líder São Paulo nesta noite de quarta-feira (20), na Arena do Grêmio, em Porto Alegre. O time saiu na frente com gol de Hyoran no 1T, mas acabou levando o empate – e quase a virada – na reta final da partida. Porém, como o time tem um jogo a menos que o São Paulo, a torcida ainda nutre esperanças na briga pelo título.

Na próxima rodada, o Atlético, 3º colocado com 54 pontos, visita o Vasco para tentar, mais uma vez, embalar de vez. A partida será em São Januário, neste sábado (23), às 21h. Em uma edição do Brasileirão na qual os vacilos dos líderes têm sido a tônica, o Galo ainda pode arrancar na reta final e colocar fim ao jejum de quase 50 anos sem levar o caneco.

Jogo truncado

Os times entraram em campo com cautela, procurando não bobear, dada a importância do confronto direto. O primeiro lance importante veio aos 14 do 1T – e foi do Galo: a zaga gremista se complicou e Vargas passou a bola para Savarino. O atacante chutou colocado com perigo e o arremate foi perto da trave. O time da casa respondeu logo depois, com bom lançamento de Alisson que tinha como endereço o ataque gremista, mas a zaga atleticana afastou.

Lá vem o Hyoran!

Aos 30, o Galo teve a chance de sair na frente. Arana foi derrubado na área depois de receber passe de calcanhar de Vargas, e o árbitro marcou pênalti. Foi o 11º a favor do time mineiro no Brasileirão, o líder em penalidades. Hyoran bateu firme, Vanderlei até caiu no canto certo, mas não conseguiu pegar: 1 a 0 para o Galo. Em grande fase, o meia alvinegro marcou 4 gols nos últimos quatro jogos do time no Brasileirão.

Mais??

O Galo queria mais. Na volta para o 2T, aos 10 minutos, Keno fez grande jogada na esquerda e cruzou para a área. A bola caiu em Vargas, o atacante deu um chute à queima-roupa, mas Vanderlei espalmou. O time continuava no ataque e, sete minutos depois, o atacante tentou de novo… e parou no goleiro tricolor. Pouco depois, aos 18 do 2T, Keno apertou a marcação, roubou a bola e driblou Vanderlei. Em vez de chutar para o gol, ele preferiu tocar para o lado e acabou errando o passe.

Não fez…

Como diz o ditado: “quem não faz, leva”. E foi o que aconteceu aos 39 do 2T. Ferreira fez boa jogada na área, tocou para Diego Souza, mas a zaga tirou. Na sobra, Everton – que havia acabado de entrar – pegou de primeira e a bola foi para o fundo das redes. 

O Grêmio cresceu no jogo e, aos 47, quase veio a virada. Ferreirinha invadiu a área, chamou a zaga para dançar e chutou forte, para grande defesa de Everson. Pouco depois, aos 49, Diego Souza cabeceou fraco. Everson tirou de soco, a bola bateu em Everton e por pouco não entrou.

Com o resultado (ruim para as duas equipes), o Galo permanece em 3º lugar e está a 3 pontos do líder São Paulo, que ainda jogará na 31ª rodada. O Grêmio, em 6º, também se complicou na briga pelo título.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 1 X 1 ATLÉTICO

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Data: 20 de janeiro de 2021
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse e Alex Ang Ribeiro
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral
Cartões amarelos: Alisson (Grêmio); Allan (Atlético)

GOLS: Everton, aos 40 do 2ºT (Grêmio); Hyoran, aos 31 do 1ºT (Atlético)

GRÊMIO: Vanderlei; Victor Ferraz (Everton), Rodrigues, Kannemann e Diogo Barbosa; Lucas Silva (Maicon) e Thaciano (Pinares); Alisson (Ferreira), Jean Pyerre e Pepê (Luiz Fernando); Diego Souza.
Técnico: Renato Portaluppi

ATLÉTICO: Everson; Guga, Réver (Gabriel), Júnior Alonso, Igor Rabello e Guilherme Arana; Allan e Hyoran (Borrero); Savarino (Alan Franco), Vargas (Eduardo Sasha) e Keno
Técnico: Jorge Sampaoli

Edição: Thiago Ricci
Beatriz Kalil Othero
Beatriz Kalil Otherobeatrizkof@gmail.com

Mineira de BH, graduanda em jornalismo pela UFMG e fascinada por futebol, dentro e fora das quatro linhas. Cobre os jogos dos times mineiros como repórter freelancer para o BHAZ.

Comentários