Mais SUV que hatch, novo C3 pode ser a salvação da Citroën no mercado nacional

Novo C3
Novo C3 está sendo produzido em Porto Real, no Rio de Janeiro (Foto: Citroën/Divulgação)

A Citroën finalmente saiu do ostracismo e terá algo novo para o mercado nacional. O que não acontece desde o lançamento do Cactus em 2018. Essa novidade foi conhecida durante a apresentação mundial do novo C3, no último dia 16 de setembro.

Novo C3 de frente
O novo C3 se destaca pelo capô elevado moldado junto ao logotipo da marca (Foto: Citroën/Divulgação)
Novo C3 de traseira
Dianteira é caracterizada por uma assinatura luminosa em dois níveis (Foto: Citroën/Divulgação)

Mas calma, calma. A Stellantis, que agora manda também na Citroen, avisa que a chegada às lojas é somente no primeiro trimestre de 2022. Mas já em janeiro começa a tal da pré-venda, onde os candidatos a compradores dão uma grana para garantir o produto primeiro.

O modelo está sendo visto como o salvador da pátria para a Citroën, que tem vendas bem baixas no País. Emplacou pouco mais de 11 mil unidades entre janeiro e agosto deste ano no mercado nacional, com uma participação de 1,1%.

Leia mais: Avaliação do C4 Cactus Shine 1.6 THP

O objetivo do fabricante, com o novo C3, é aumentar a sua presença internacional e tentar se consolidar na América do Sul, Oriente Médio, África, Ásia e China, além de entrar em outros países, como a Índia.

Para isso, a Citroën desenvolveu um plano de produtos que prevê o lançamento de três modelos com vocação internacional em três anos. São modelos pensados, desenvolvidos e produzidos em regiões estratégicas, com a identidade da Citroën em termos de estilo. Um deles é o novo C3.

O novo Citroën será lançado primeiro no Brasil e na Argentina. Depois irá o Chile, Colômbia, Uruguai, Peru, Equador, entre outros.

Ele está sendo produzido na fábrica de Porto Real. O segmento B-Hatch, da qual faz parte, que representou, em 2020, 30% do mercado total no Brasil e 26% na Argentina.

Projeto CC21

Com previsão de um volume de 70 mil unidades por ano no Brasil, o compacto da marca francesa está mais para um pequeno SUV do que para um hatch. Ele faz parte do Projeto CC21 e tem um visual mais limpo que o modelo atual.

Por fora, o C3 se destaca pelo capô elevado moldado junto ao logotipo da marca e o desenho da grade dianteira e a estrutura da face dianteira que reforça a impressão de largura.

Sua dianteira é caracterizada por uma assinatura luminosa em dois níveis, com os duplos chevrons que se transformam em barras cromadas e se estendem ao longo da largura do veículo, passando pelos faróis antes de se separar e formar um Y nas extremidades.

Os faróis são compostos por dois elementos separados, com as lanternas, os indicadores de direção e as luzes diurnas no nível superior, os faróis de luz alta e de luz baixa e o DRL. A assinatura luminosa traseira também é marcante e reproduz as duas linhas horizontais, formando um triângulo.

Leia mais: Novo Creta, nova cria

Internamente, o novo C3 tem painel horizontal para transmitir sensação de espaço. Possui ainda tela sensível ao toque de 10 polegadas, com função wireless Mirror Screen, que projeta os aplicativos exibidos no smartphone do condutor. É compatível com o Apple CarplayTM e o Android AutoTM, cuja navegação é feita pelos aplicativos e conteúdos multimídia.

Elevado

A altura livre do solo é mais elevada e projetada para evitar choques em estradas de diferentes condições de rodagem. Daí a percepção mais para um SUV do que um hatch.

O novo compacto tem como característica a oferta de itens de customização. Como uma paleta de cores variadas e um amplo catálogo de acessórios, além de da carroceria de duas cores, com uma linha de separação entre a carroceria e o teto.

Ao todo são treze opções de customização disponíveis na América do Sul, incluindo modelos de cor única e os modelos com opção de duas cores (carroceria de uma cor e teto de outra).

Na apresentação a Citroën não tocou no assunto motorização. Mas há especulações. Uma delas é o motor 1.0 Firefly, fabricado em Betim pela Fiat, com transmissão manual. Existe a informação de uma versão com motor 1.6 de 16 válvulas, esta sim com opção de câmbio manual e automática.

C3 frente total
Foto: Citroën/Divulgação

Acesse: www.aceleraai.com.br

Acelera Ai
Acelera Airedacao@aceleraai.com.br

Jornalistas Eduardo Aquino e Luís Otávio Pires são os editores do site Acelera Aí e da seção veículos do portal Bhaz

Comentários