Elétricos: RS GT e S Sportback, as versões mais esportivas do Audi e-tron

Novos e-trons
RS e-tron GT e e-tron S Sportback já estão nas concessionárias da Audi (Foto: Mário Villaescusa)

Belo Horizonte foi a primeira capital do Brasil a conhecer “pessoalmente” os novos RS e-tron GT e e-tron S Sportback, carrões elétricos da Audi. Eles chegaram ao Brasil em maio deste ano, mas somente neste mês a marca alemã fez o lançamento presencial, evidentemente devido ao avanço da vacinação contra a covid-19.

A edição mineira do principal evento de decoração e arquitetura do País, a CasaCor, que acaba de terminar, se tornou o show-room dos modelos alemães que custam R$ 779.990,00 (S Sportback) e R$ 979.990,00 (RS GT).

A capital mineira é considerada uma operação bem sucedida da Audi, talvez por isso tenha sido escolhida para esta ação. Trata-se do segundo mercado de carros elétricos da marca – perde apenas para São Paulo – e o terceiro em termos gerais (elétricos e a combustão), atrás da capital paulista e de Curitiba, com 400 unidades vendidas no acumulado de janeiro a setembro de 2021.

Milhões de possibilidades

O RS e-tron GT é o primeiro esportivo 100% elétrico da marca. O modelo possui mais de 1,4 milhão de possibilidades de personalização. O motor elétrico no eixo dianteiro libera 175 kW, enquanto o motor na traseira libera 335 kW. A potência total é 440 kW (ou 598 cv) e o torque total é 830 Nm. No modo boost, a potência aumenta brevemente para 475 kW (ou 646 cv). Com este conjunto faz de 0 a 100 km/h em 3,3 segundos e atinge a velocidade máxima de 250 km/h.

O RS e-tron GT roda com tração elétrica nas quatro rodas. O modo “efficiency” do drive select prioriza tração dianteira. No caso de uma superfície escorregadia da via, exigências de alta potência ou curvas rápidas, o motor elétrico para a tração traseira também é ativado e por volta de cinco vezes mais rápido do que uma tração mecânica quattro.

Leia mais: Ao volante do e-tron

Com coeficiente de arrasto de 0,24, o esportivo tem entradas de ar na seção inferior da frente desempenham um papel aerodinâmico importante. As cortinas de ar verticais no exterior direcionam o ar nos arcos das rodas do veículo de forma que ele flua perto da roda e então ao longo da lateral.

No interior o foco maior é no motorista, como se fosse um monoposto ou fórmula, com painel central ligeiramente inclinado. O display do virtual cockpit plus parece flutuar, enquanto o MMI touch é cercado por um acabamento black piano que fica acima do painel de instrumentos.

Galeria: Confira mais imagens com detalhes do Audi RS e-tron GT

Alta tensão

O sistema de bateria de íons de lítio do RS e-tron GT está entre os eixos, no ponto mais baixo do veículo, e fornece um baixo centro de gravidade. A bateria de alta tensão pode armazenar 93 kWh de energia e integra 33 módulos, cada um deles compreendendo 12 células com revestimento externo flexível.

As entradas de recarga ficam atrás das rodas dianteiras. Os dois lados apresentam conexões para corrente alternada (AC) e também existe uma conexão para corrente direta (DC) do lado direito. O RS e-tron GT pode carregar com 11 kW AC como padrão, o que permite que ele recarregue uma bateria por completo durante a noite.

Em um terminal DC com potência adequada, o esportivo elétrico atinge um pico de capacidade de carga de até 270 kW. Isto permite que ele recarregue até 100 quilômetros em mais de cinco minutos. Em condições ideais é possível carregar a bateria de 5% a 80% em cerca de 22,5 minutos.

Som controlado

O som esportivo compreende duas unidades de controle e amplificadores no compartimento de bagagem. Eles geram um som separando exterior e interior, que sai através de dois alto-falantes, fora e dentro do veículo. Dados sobre a velocidade rotacional dos motores elétricos, carga, velocidade do veículo e outros parâmetros servem como base para o som digital.

Leia mais: Teste do Audi Q3 1.4 Black

O motorista pode modular o som via drive select. No perfil efficiency, somente o Sistema Acústico de Alerta do Veículo fica ativo, o que já gera um som mais amplo para reconhecimento de um veículo elétrico. O som exterior é mais completo e tem melhor qualidade no modo comfort, explica o fabricante.

Três motores

Já o e-tron S Sportback vem com três motores elétricos, sendo dois no eixo traseiro e um no eixo dianteiro. O modelo é capaz de entregar 973 Nm de torque e 370 kW de potência (503 cavalos). Se o modo de condução do drive select estiver selecionado como “Dynamic”, é possível fazer até exercícios de drift.

O modelo acelera de 0 a100 km/h em 4,5 segundos com velocidade máxima de 210 km/h e a tração quattro elétrica é aprimorada com vetorização de torque. Ou seja, cada motor elétrico traseiro envia o torque diretamente para a roda, pois não há mais diferencial mecânico.

A bateria de alta tensão permite uma autonomia de até 380 quilômetros (ciclo WLTP), a fim de oferecer uma distribuição equilibrada do peso. É instalada em uma posição baixa comparável à dos três motores elétricos, para diminuir o centro de gravidade do carro e oferecer vantagens em termos de condução dinâmica.

Galeria: Confira mais imagens com detalhes do Audi e-tron S Sportback

Câmeras = retrovisores

O modelo possui retrovisores externos virtuais como item opcional, com câmeras que enviam a imagem para uma tela de alta definição dentro do veículo. Outra solução aerodinâmica é a entrada de ar de resfriamento controlável com dutos para resfriar os freios das rodas dianteiras. Ela permanece fechada sempre que possível para que a corrente de ar flua sobre o capô.

Entre os itens de série estão os faróis Full LED Digital Matrix com luz de direção. Neste sistema, cada feixe de luz é dividido em 1,3 milhão de pixels e pode ser controlado com maior precisão, o que permite diversas funções e possibilidades ao funcionar como um projetor de imagem.

Em uma delas os faróis projetam na parede ou no chão uma assinatura animada e personalizada. Outra função é a iluminação da faixa de rolagem da estrada: além de iluminar da forma tradicional, os faróis destacam e se ajustam à largura da faixa, além de projetar pequenas setas no piso logo à frente do veículo. O conjunto também é capaz de acompanhar os próximos metros da estrada e iluminar de forma antecipada e dinâmica para aumentar a visibilidade.

Cores internas escuras

O interior do e-tron S Sportback é projetado com cores escuras. Os bancos esportivos são em couro ajustáveis ​​eletricamente e com memória para o motorista. O acabamento interno é em fibra de carbono e o pacote de iluminação ambiente adiciona destaques progressivos com possibilidade de 30 opções de cores.

Este Audi é equipado também com o sistema de controle digital sensível ao toque MMI Touch com duas grandes telas centrais. No terceiro display, o virtual cockpit posicionado atrás do volante, o motorista pode selecionar uma tela especial e-tron que exibe o veículo no centro da imagem. O sistema de som é o Bang & Olufsen 3D com 16 alto falantes e 705 Watts de potência.

Leia mais: Audi e o Marketing Lunar

O modelo possui sete itens configuráveis. São nove cores externas, dois desenhos de roda, duas cores de pinças de freio, design exterior com detalhes em preto ou em alumínio, três acabamentos para a capa do retrovisor, cor do couro nos assentos e acabamento interno em carbono, alumínio ou cinza.

e-tron na CasaCorBH
Ação da Audi na CasaCor BH (Foto: Mário Villaescusa)

Acesse: www.aceleraai.com.br

Acelera Airedacao@aceleraai.com.br

Jornalistas Eduardo Aquino e Luís Otávio Pires são os editores do site Acelera Aí e da seção veículos do portal Bhaz

Comentários