Quem é seu escritor brasileiro preferido?

Acervo Literama

No dia 25 de julho o Brasil comemorou o Dia do Escritor. É uma data a se levar a sério, principalmente no nosso país. Por aqui, muitos são os escritores e as escritoras espetaculares, mas pouco se fala sobre eles. São pessoas que vivem de fazer arte, de contar histórias que podem mudar muitas vidas. E, diferentemente do que vemos com grandes nomes da literatura contemporânea mundial, por aqui nem todos enriquecem com seu trabalho escrito.

Esse ano passei por duas situações interessantes, que me levaram a conhecer dois escritores brasileiros, um homem e uma mulher, que, na minha opinião, merecem todos os holofotes – e os parabéns nessa data tão importante. Os novos nomes da literatura brasileira que quero indicar, hoje, são Aline Bei e Miller Brito.

A Aline Bei eu conheci no Instagram, por indicação de um grupo de leitura feminino. Seu livro, chamado O Peso do Pássaro Morto, é uma das coisas mais lindas que vi surgirem no mercado literário nos últimos anos. A obra ganhou o Prêmio São Paulo de Literatura em 2018 e a escritora vende os exemplares pelo próprio Instagram. Ao que tudo indica, é apenas ela quem edita e comercializa a obra, uma vez que ainda não a vi em nenhuma livraria.

Uma pena. Estaria, certamente, nas pilhas dos mais vendidos.

Aline Bei tem uma prosa incrível, permeada de sentimentos que enchem a nossa rotina pela simples atividade do existir. O livro é para todos, mas acredito que tocará especialmente as mulheres. A magia das palavras de Bei é tanta que achei que ia levar uma semana para lê-lo e, por fim, terminei o livro em uma tarde.

Uma das frases que mais me marcou, das muitas que me marcaram, é: “É uma pena, mas eu não sei fazer a morte parar”. Por ela já dá pra ver que todo mundo, de uma forma ou de outra, vai se identificar com o livro.

O Miller Britto eu conheci dentro de uma livraria, quando estava na parte de livros de suspense, mistério e terror. Ele se aproximou e pediu licença para apresentar a obra que estava lançando, A Primavera dos Sorrisos Macabros, na sequência de O Cemitério dos Escritores Mortos.

Eu já estava interessada pelos títulos, mas o que realmente me vendeu os exemplares foi a proximidade com o autor. Nem sempre vemos um escritor parado, em uma livraria, falando mais sobre sua obra. Contudo, é exatamente dessa forma que os autores brasileiros tem que “se virar” para se fazer vistos. Em um mar de literatura best-seller – onde muitos não merecem, de fato, vender tanto (mas essa é uma conversa para depois) – os iniciantes acabam tendo que colocar a mão na massa e espalhar suas ideias.

Ainda bem. Assim como Aline, Miller Britto é sensacional. Tem uma narrativa que prende e faz a gente querer ler logo a próxima página.

A pergunta que não quer calar

No título desse texto eu perguntei quem é seu escritor brasileiro preferido, mas fui logo dando minhas sugestões. Desculpa o mal jeito, mas é que eu tinha que tomar um fôlego antes de fazer uma confissão: na lista que fiz, no ano passado, dos meus cinco escritores preferidos no mundo todo, nenhum era brasileiro. :/

Gosto dos nomes que temos – e são muitos. Machado, Rachel, Conceição, Paulo, João, Ariano, Graciliano, Manuel, Lya, Lygia. O Brasil tem literatura para dar e vender, da melhor espécie possível. O problema é comigo. Quando escrevi esse título, tive que me tomar um tempo para entender que, além de trazer à tona os escritores no geral, o 25 de julho é importante para que a gente possa enxergar nossa biblioteca com mais afinco.

Pensando no assunto, resolvi fazer uma lista exclusiva dos autores brasileiros que mais gosto de ler. São eles (em ordem alfabética):

  1. Aline Bei (sim, já estou apaixonada)
  2. Cecilia Meireles
  3. João Ubaldo Ribeiro
  4. Maria José Dupré
  5. Mário Quintana

E você: se fizer uma lista de escritores e escritoras daqui que mais admira, quais nomes colocaria nela?

(Ah! E se tiver um tempinho, leia aqui os primeiros capítulos do meu livro de estreia. Quem sabe um dia eu entro no seleto grupo das suas preferências? 😉 )

Lais Menini
Lais Menini

Laís Menini é redatora sênior, com nove anos de experiência na criação de conteúdo para internet. Nas horas vagas, ministra cursos e oficinas de escrita criativa e é blogueirinha de literatura no Literama.