Bárbara Vitória: Advogada da família condena o compartilhamento de fotos do corpo da menina

barbara
Pelo Instagram, a criminalista Aline Fernandes pede que as pessoas parem de compartilhar fotos do corpo de Bárbara (Reprodução/Redes sociais)

A advogada da família de Bárbara Vitória usou as redes sociais para fazer um apelo neste sábado (6). Em vídeo publicado no Instagram, a criminalista Aline Fernandes pede que as pessoas parem de compartilhar fotos do corpo da criança, localizado na última terça-feira (2), em Ribeirão das Neves.

“Tive conhecimento hoje através do Rogério, pai da Bárbara, que estão compartilhando pelas redes sociais fotos do corpo dela em dois momentos: o primeiro, de quando o corpo dela foi localizado no campo; o segundo momento, enquanto o corpo estava sendo velado”, conta a advogada.

A profissional ressalta, ainda, que a prática pode configurar crime de vilipêndio, que se configura quando há violação da dignidade humana. A pena para esse tipo de crime varia de 1 a 3 anos de prisão.

“Eu não queria precisar vir até as redes sociais pedir para que pessoas adultas não compartilhem essa foto, acredito eu que esse é o mínimo de decência e compaixão com uma família que acabou de perder uma filha de 10 anos e que está em extrema situação de vulnerabilidade”, frisou Aline.

O caso

Bárbara Vitória, de 10 anos, foi encontrada morta na última terça-feira (2) em um campo de futebol localizado no bairro Landi 2ª Seção, em Ribeirão das Neves, na Grande BH. Ela tinha sido vista com vida pela última vez na tarde de domingo (31), quando saiu de casa para comprar pão, em Venda Nova (veja aqui).

Uma vizinha que saiu pela região com o objetivo de encontrar a criança se deparou com o corpo em uma mata atrás do campo de futebol Pedra Branca. Bárbara Vitória estava com a camisa do Atlético, mas sem o short amarelo que usava na última vez em que foi vista.

O principal suspeito do crime, que já teria prestado serviços na casa da vítima, foi encontrado morto na casa de uma tia na quarta-feira (3), na região Nordeste de BH. A suspeita é que ele tenha tirado a própria vida (veja aqui).

Edição: Roberth Costa
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Graduada em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2021. Vencedora do 13° Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog.

Comentários