Por causa da poluição, bombeiros que mergulharam na Pampulha tiveram que ser medicados

Buscas foram retomadas hoje, com o auxílio de barcos

Acostumados a situações extremas, os soldados do Corpo de Bombeiros que mergulharam ontem na Lagoa da Pampulha tiveram que ser medicados por causa da poluição.  Os bombeiros foram acionados para procurar o corpo de uma pessoa que teria caído na lagoa.

Segundo testemunhas, o desaparecimento teria ocorrido no final da tarde de ontem, depois de uma briga que envolveu três pessoas no ponto da lagoa que fica na confluência da avenida Otacílio Negrão de Lima com a avenida Antônio Carlos. Uma das pessoas teria se desequilibrado e caído na água. Em seguida, as testemunhas acionaram os bombeiros que começaram as buscas por volta de 18h de ontem.

Como nada foi encontrado, as buscas foram encerradas cerca de quatro horas depois. Por precaução, os bombeiros que participaram da operação foram encaminhados para uma unidade de saúde, para que medidas profiláticas preventivas fossem adotadas, já que, no local, a qualidade da água é muito ruim.

Os bombeiros internados ontem foram medicados e liberados em seguida. As buscas foram retomadas hoje, com o auxílio de um barco.

Atualmente, as águas da Lagoa da Pampulha são classificadas como sendo de Classe 3, segundo resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). Ela possibilita o consumo da água por animais, irrigação, pesca amadora e o chamado contato apenas secundário pelo ser humano, em atividades como canoagem, remo ou passeios de barco.

Marcelo

Marcelo Freitas é redador-chefe do Bhaz