Pesquisar
Close this search box.

Carnaval de BH tem editais abertos com investimento de R$ 3,7 milhões da Belotur nos eventos de rua

Por

Carnaval 2023 Investimentos
Marah Costa, diretora de eventos da Belotur, e Gilberto Castro, diretor-presidente da Belotur, em coletiva realizada nesta quinta-feira. (Asafe Alcântara/BHAZ)

A Belotur (Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte) anunciou nesta quinta-feira (12) detalhes de como investirá cerca de R$ 3,7 milhões em ações para reestruturar o Carnaval da capital mineira, suspenso nos últimos dois anos em decorrência da pandemia. Escolas de samba, blocos caricatos e blocos de rua poderão se inscrever do dia 16 até 30 de maio nos editais abertos pelo município. O prefeito Fuad Noman (PSD) já havia adiantado que em 2023 destinaria recursos para o maior evento popular da cidade.

Os investimentos serão usados em ações de capacitação, tais como oficinas, cursos, palestras e seminários, além de ensaios e gravações musicais e audiovisuais. A ideia é que esses recursos apoiem a qualificação e a divulgação do Carnaval de Belo Horizonte.

“Os editais surgiram em diálogo com representantes do Carnaval de Belo Horizonte, considerando as necessidades e demandas do setor. Sabemos que essa cadeia produtiva foi muito prejudicada com a pandemia da Covid-19, e temos agora a possibilidade de oferecer um caminho para que eles mantenham acesa a chama deste evento, que gera emprego, renda, desenvolvimento e promove Belo Horizonte como um dos melhores destinos mornescos do país”, comenta Gilberto Castro, presidente da Belotur.

Em entrevista coletiva, o presidente da Belotur ainda confirmou que ainda será aberto um outro edital em busca de patrocinadores para viabilizar de fato o Carnaval com recursos da iniciativa privados.

As propostas para participar dos editais precisam ser entregues presencialmente na sede da Belotur (rua dos Carijós, 166 – Centro), nos horários de 9h às 12h e de 14h às 17h.

Carnaval aquece a economia

No último Carnaval de Belo Horizonte, a cidade atraiu 4,45 milhões de foliões durante os dias tradicionais de festa: de 22 a 25 de fevereiro. Entre as pessoas que foram às ruas, estavam mais de 210 mil turistas que gastaram, segundo a Belotur, mais de R$ 156 milhões na capital mineira. Em 2020, a estrutura foi bancada somente com dinheiro da iniciativa privada, por meio de um edital de patrocínio.

O apoio do poder público para 2023 é bem avaliado pelos principais organizadores de eventos de rua do Carnaval. “É um edital inédito no município de Belo Horizonte. Vem como mola propulsora. Podemos realizar documentários, por exemplo, para projetos futuros”, avalia Juólison Mangabeira, presidente da ACBC (Associação Cultural dos Blocos Caricatos de Belo Horizonte).

“Carnaval é arte, cultura, economia e educação. Não é só março e fevereiro, é o ano inteiro. Então a gente conseguir retomar com todas essas atividades, com essa mobilização dos blocos, é o primeiro grande passo para retomada qualificada do Carnaval que a gente sempre fez”, conclui Vick de Paula, gestora de recursos de projetos do Bloco Angola Janga.

Escolas de Samba

Ao todo serão aportados R$ 900 mil que serão divididos entre até doze escolas de samba sediadas em Belo Horizonte. A cada agremiação habilitada será destinado o valor de R$ 75 mil. No ato da inscrição, os interessados devem optar por um dos eixos, de acordo com a lista abaixo:

  • Eixo Passarela: lançamento ou concurso de Samba Enredo, ensaios abertos ou concurso de Rainha de Bateria.
  • Eixo Música: coletânea de Sambas Enredo e faixa musical da Escola de Samba. III – Eixo Audiovisual: mini documentário ou videoclipe.

Blocos Caricatos

Ao todo serão aportados R$ 418 mil que serão divididos entre até onze blocos caricatos sediados em Belo Horizonte. A cada agremiação habilitada será destinado o valor de R$ 38 mil. No ato da inscrição, os interessados devem optar por um dos eixos, de acordo com a lista abaixo:

  • Eixo Capacitação: Oficinas, cursos, palestras e seminários e ensaios abertos.
  • Eixo Música: Marcha Tema elou faixa musical do bloco caricato.
  • Eixo Audiovisual: Mini-documentário ou videoclipe.

Blocos de Rua

Ao todo serão aportados R$ 2,38 milhões que serão divididos entre até 170 blocos de rua sediados em Belo Horizonte, em três categorias:

A – R$ 21 mil

B – R$ 14 mil

C- R$ 7 mil

Além de escolher apenas uma das categorias, os interessados devem optar também por um dos eixos, de acordo com a lista abaixo:

  • Eixo Capacitação: Curso, palestra, seminário, oficina ou ensaio.
  • Eixo Música: gravação de faixa musical.
  • Eixo Audiovisual: Mini-documentário ou videoclipe.

Asafe Alcântara

Coordenador de mídias digitais e repórter, no BHAZ, desde setembro de 2021. Atualmente concilia como repórter na Record TV Minas. Jornalista graduado pelo UNI-BH, com experiência em redações de veículos de comunicação, como RedeTV! BH, TV Band Minas, TV Alterosa, TV Anhanguera (afiliada Globo GO), TV Justiça e CNN Brasil.

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ