Com avanço da vacinação, BH deve ter Carnaval em 2022: ‘Saúde rege tudo’

Carnaval BH Praça 7
Último carnaval foi o maior da história da cidade (Moises Teodoro/BHAZ)

O vereador Leo Burguês (PSL), líder do governo do prefeito Alexandre Kalil (PSD) na Câmara Municipal, disse em coletiva de imprensa hoje (10) que a expectativa é que o Carnaval ocorra em Belo Horioznte no ano que vem.

Segundo declaração dada pelo vereador, a Belotur (Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte), órgão da prefeitura, está avaliando esta questão.

“A gente está com expectativa de chegar a vacinação até o final do ano e o Carnaval é um movimento popular da cidade de Belo Horizonte, está sendo olhado pela Belotur, e a expectativa acredito que de toda a cidade é que a gente tenha esse carnaval”, disse.

Leo Burguês reforçou, porém, que a oficialização do evento depende dos indicadores de Covid-19. “Claro que isso depende dos índices e a saúde hoje é o que rege tudo na cidade de Belo Horizonte”, finalizou.

Na mesma coletiva, o prefeito e a secretária municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, Maíra Colares, detalharam sobre o Auxílio Belo Horizonte, que vai atender mais de 380 mil famílias (veja aqui).

Audiência pública

Procurada pelo BHAZ, a PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) informou que uma audiência pública será realizada na CMBH (Câmara Municipal de Belo Horizonte) amanhã, e que não há novas informações a respeito do assunto no momento.

A audiência que discutirá a possibilidade de realização do Carnaval em BH no ano que vem será promovida pela Comissão de Educação, Ciência, Tecnologia, Cultura, Desporto, Lazer e Turismo da Câmara.

Os convidados para o debate incluem o secretário Municipal de Saúde, o diretor-presidente da Belotur, o presidente da Liga Belorizontina de Blocos de Rua, o presidente da Associação Cultural dos Blocos Caricatos, entre outros.

Vacinação em BH

De acordo com informações divulgadas pela administração municipal nessa terça-feira (9), Belo Horizonte já tem 82,9% da população vacinados contra a Covid-19 com a primeira dose ou a dose única, considerando o público com 12 anos ou mais e as pessoas residentes em outros municípios vacinadas em BH.

Aqueles vacinados com as duas doses do imunizante ou com a dose única são 65,7%, ainda considerando o público listado acima.

Edição: Roberth Costa

Comentários