Homem é preso após se passar por guarda municipal para abusar de adolescente de 13 anos em BH

Suspeito de se passar por guarda municipal e manter um relacionamento com uma adolescente de 13 anos é preso
Polícia Civil prendeu o homem hoje na região de Venda Nova (Amanda Dias/BHAZ)

A Polícia Civil prendeu, nesta quinta-feira (20), um homem que fingiu ser guarda municipal e manteve um relacionamento com uma adolescente de 13 anos em Belo Horizonte. O homem, que foi detido na região de Venda Nova, usava do falso cargo para fazer ameaças e exigências à menina. A relação durou dois anos.

De acordo com as investigações iniciadas em dezembro, após alguns meses de afastamento, o suspeito teria voltado a procurar a vítima, ameaçando-a para que voltassem a se encontrar. Ela então procurou uma policial amiga da família, que a instruiu a registrar a denúncia na Polícia Civil.

“Esse homem de 51 anos aliciou essa adolescente quando ela ainda tinha 13 anos. Eles passaram a ter relacionamento afetivo, inclusive com relações sexuais, o que por si só já configura o crime de estupro de vulnerável”, explicou o delegado Diego Lopes em entrevista coletiva na tarde de hoje.

Ainda segundo o delegado, durante o tempo que esteve com a garota, o homem filmou as relações sexuais sem o consentimento dela. A jovem tem atualmente 15 anos e relatou que o investigado se apresentava como guarda municipal. O suspeito ainda fornecia a ela bebidas alcoólicas e drogas. Em uma das oportunidades, o investigado teria levado um terceiro para o encontro deles.

Violência e ameaças

Depois de um tempo, quando ela quis parar de encontrá-lo, ele passou a ameaçá-la, afirmando que divulgaria as imagens gravadas durante as relações. “Ele também fazia ameaças de cunho violento, já que ele se identificava como guarda municipal”, conta Diego. Segundo as investigações, a roupa de guarda pertencia ao irmão do homem, que não sabia da situação.

A vítima relata que, desde então, passou a ser obrigada a encontrá-lo e manter relações sexuais. Não suportando mais a situação, ela pediu ajuda a uma policial conhecida da família, através das redes sociais. Diante da gravidade do caso, a policial orientou que ela contasse à mãe e, juntas, elas registraram a denúncia.

Prisão

Após investigações, o homem foi identificado e a delegada pediu medidas cautelares em favor da vítima. O suspeito é casado, trabalha como vigilante e foi preso preventivamente hoje. Além da prisão, os policiais ainda apreenderam o celular do homem, que tinha um dos vídeos gravados sem o consentimento da vítima.

De acordo com a delegada Renata Ribeiro Fagundes, os mandados foram cumpridos no bairro Piratininga, onde foram apreendidos um simulacro de arma de fogo, uma capa da Guarda Municipal de Belo Horizonte, um aparelho celular, além de outros dispositivos de informática.

A expectativa é de que o material possa ajudar a identificar outras vítimas. Após ser detido, o homem foi ouvido na Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente e será encaminhado ao sistema prisional.

Edição: Giovanna Fávero
Giulia Di Napoligiulia.di.napoli@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários