Pesquisar
Close this search box.

Fuad Noman, o prefeito menos curtido do Brasil

Por

fuad noman
O prefeito de BH Fuad Noman (PBH / Divulgação)

O prefeito de Belo Horizonte, Fuad Noman, é o prefeito menos curtido das 26 capitais do Brasil, segundo levantamento feito pelo BHAZ. O chefe do Executivo tem apenas 14,9 mil seguidores na soma das três das principais redes sociais (Twitter, Instagram e Facebook).

A página de Fuad no Facebook tem apenas 515 seguidores. Ele é o último colocado no ranking da rede social criada por Mark Zuckerberg. Na outra ponta, está Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro, com 255 mil seguidores, quase 500 vezes o que tem o de BH.

Ao se analisar os dados do Instagram, Fuad também é o lanterna. Ele tem 7 mil seguidores. O penúltimo colocado, Tião Bocalom, prefeito de Rio Branco, capital do Acre, tem 26,8 mil seguidores, 3,8 vezes mais.

Um detalhe importante é que a capital mineira tem população seis vezes maior que a da cidade do Norte do Brasil.

Enquanto isso, na outra ponta, João Campos, prefeito do Recife, tem 529 mil. Ou seja, ele tem 75 vezes mais seguidores na rede social, apesar de BH ter 869 mil pessoas a mais que a capital pernambucana. A população de Recife também é menor.

Economista de formação, Fuad Noman foi secretário-executivo da Casa Civil da Presidência da República durante o governo de Fernando Henrique Cardoso e diretor do Banco do Brasil. No primeiro mandato de Aécio Neves no governo de Minas, foi secretário da Fazenda, pasta que assumiu em âmbito municipal no primeiro mandato de Alexandre Kalil na Prefeitura de BH. Ainda sob o comando de Aécio foi secretário de Transportes e Obras Públicas no segundo mandato do tucano.

Foi no segundo mandato de Kalil que Fuad foi candidato a vice e assumiu o cargo principal com a saída do prefeito eleito para disputar o governo de Minas Gerais.

A única rede social que Fuad Noman não é o último colocado em seguidores é o Twitter, onde aparece na 15ª posição. Ele está à frente dos prefeitos de Macapá, Manaus, Goiânia, Cuiabá, Porto Velho, Boa Vista, Florianópolis, Teresina, Rio Branco e Campo Grande. Em contrapartida, Eduardo Paes tem mais de 700 mil seguidores, 100 vezes mais que o prefeito de BH.

O BHAZ procurou a assessoria de imprensa da Prefeitura de Belo Horizonte na última semana, mas optaram por não comentar.

Fuad Noman larga atrás na corrida pela reeleição

Em pesquisa feita pelo Instituto Paraná em março, o prefeito Fuad Noman aparece em quarto e quinto lugar nos dois cenários estimulados em que o nome dele aparece.

No cenário 1, Fuad aparece com 6,2%, atrás de Carlos Viana (23,8%), Nikolas Ferreira (20,7%) e Duda Salabert (10,5%).

No cenário 2, o atual prefeito de BH tem 6%, e fica atrás de Carlos Viana (24%), Eduardo Costa (13,1%), Duda Salabert (10,5%) e Bruno Engler (8,4%). 

Carlos Ranulfo, cientista político e professor da UFMG, vê com dificuldade uma possível candidatura de Fuad à reeleição. “Qualquer candidatura dele, independente de repercussão, para se tornar viável, ele teria que fazer um esforço enorme. Ele pegou uma parte do segundo mandato do Kalil, que não foi tão bem avaliado quanto o primeiro. A atual avalição da PBH, por si só, não impulsiona um candidato. Tenho minhas dúvidas se ele vai mesmo concorrer”, começa.

Ranulfo afirma que o atual prefeito difere do seu antecessor, eleito duas vezes para o posto. “Kalil era presidente do Atlético, entrou como um nome forte. Fuad não tinha uma trajetória conhecida na política ou na sociedade civil”.

E, pra piorar a vida de Fuad, o cientista político acredita que Kalil, primeiro colocado numa pesquisa espontânea, mas que não pode concorrer a um terceiro mandato, deve apoiar o senador Carlos Viana (Podemos) numa disputa pela prefeitura de BH.

Sobre as redes sociais, o cientista político reforça que o chefe do Executivo municipal não tem nenhuma familiaridade. “O fato dele ter essa inserção tão precária nas redes, já era algo de se esperar. Para ele ser um candidato conhecido, teria que fazer um esforço enorme”. E o professor da UFMG diz mais: “Ele nunca vai competir com a popularidade nas redes sociais com o pessoal do PL. Mas é importante lembrar que rede social não ganha eleição, pois, se fosse assim, o Bolsonaro teria ganhado a Presidência”.

O docente vê outros nomes mais fortes para a disputa de 2024. “Acho que a esquerda vai ter um ou dois candidatos. A direita pode vir com o Carlos Viana e um candidato bolsonarista. O Fuad a essa altura já é ‘carta fora do baralho’. Certamente ele sabe que é um quadro muito difícil”, completa.

Fuad faz trocas no secretariado

Nas últimas semanas, Fuad fez trocas no secretariado na tentativa de manter apoio de parcela da Câmara de BH e também melhorar a comunicação da Prefeitura de BH. Luiz Henrique Michalick foi demitido da Secretaria de Assuntos Institucionais e Comunicação.

Em seu lugar assumiu o vereador Claudiney Dulim, que ficará responsável pela interlocução com a Câmara. Hugo Teixeira, ligado ao PSDB, deve ficar responsável pela estratégia de comunicação.

Pedro Rocha Franco

Pedro Rocha Franco é jornalista desde 2007 e estudante de ciências sociais. Foi repórter do jornal Estado de Minas, editor do portal O Tempo e head de digital da Itatiaia. Hoje é gerente executivo do BHAZ. Além disso, colaborou com UOL e Repórter Brasil.

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ