Funcionários da Transoeste encerram a greve em BH e ônibus circulam normalmente hoje

ônibus azul rua bh
Obras terão início amanhã (FOTO ILUSTRATIVA: Maira Monteiro/BHAZ)

Funcionários da Transoeste, empresa que possui 88 veículos no sistema da BHTrans e opera 28 linhas em Belo Horizonte, encerraram nesta terça-feira (25) a greve de ônibus que se iniciou ontem (24). Os ônibus já circulam normalmente pela capital, incluindo os que partem da região do Barreiro, a mais afetada pela paralisação.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Belo Horizonte (STTR-BH), Paulo César da Silva, ao BHAZ, a empresa quitou os salários e benefícios pendentes. A greve se deu justamente pelo atraso no pagamento de salários e benefícios sociais, como vale-alimentação, seguro saúde e seguro de vida.

Segundo o presidente, ainda há metade do adiantamento – que deveria ter sido pago no dia 22 de janeiro – pendente. Ficou acertado que o restante será repassado até às 16h de hoje (25).

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH) também confirmou o fim da greve e a retomada das operações da Transoeste na manhã desta terça-feira. Pelo Twitter, a BHTrans reforçou o fim da paralisação. “As linhas da Viação Transoeste operam normalmente. Nossas equipes continuam com o monitoramento via Sistemas de Informação no Centro de Operações e em campo nas estações”.

Multa contra a empresa de ônibus

A Viação Transoeste será autuada pela PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) em cada viagem não realizada, segundo a própria prefeitura. Em nota ontem, a PBH relembrou do regulamento do transporte coletivo, que estabelece multas entre R$ 303,42 – no caso de não realização de viagem em faixa horária com mais de duas viagens programas – e R$ 568,89 – no caso de não realização de viagem em faixa horária com até duas viagens.

“Vale ressaltar que, conforme previsto nos contratos com as concessionárias, as empresas não podem realizar interrupções no serviço. Assim, a concessionária será notificada a prestar as informações/justificativas, estando sujeita às penalidades previstas nos contratos que podem ir desde multas operacionais até abertura de processo administrativo”, afirmou a prefeitura (leia nota na íntegra abaixo).

Essa é a segunda paralisação da empresa em 15 dias. No dia 13 de janeiro, 88 ônibus da Viação Transoeste deixaram de circular, principalmente na região do Barreiro. A empresa alegou que tinha entrado em “colapso” por falta de óleo diesel em seus estoques e viabilidade financeira para contínua aquisição do insumo.

De acordo com Paulo César da Silva, diante do problema de abastecimento, o atraso de salário já era previsto pelos funcionários. Durante a reunião entre a diretoria da empresa e o sindicado, foi afirmado que os atrasos não acontecerão novamente.

Nota da PBH na íntegra

“Linhas da Viação TRANSOESTE realizaram uma paralisação na manhã desta segunda-feira, dia 24/1, em função de questões salariais. Equipes da BHTRANS estão orientando os passageiros nos pontos de ônibus e nas estações. Veja abaixo as linhas que não estão operando:

Estação Barreiro: 32, 35, 308, 315, 318, 325, 329, 330, 332, 335, 337, 340 e 3350
Estação Diamante: 303, 304, 305, 309, 310, 311, 313 e 314
Paralisadas também: linhas 319 e 336

As viagens não realizadas serão autuadas, conforme o regulamento do transporte coletivo, com multas entre R$ 303,42 (NÃO REALIZAR VIAGEM EM FAIXA HORÁRIA COM MAIS DE DUAS VIAGENS PROGRAMADAS) e R$ 568,89 (NÃO REALIZAR VIAGEM EM FAIXA HORÁRIA COM ATÉ DUAS VIAGENS.)

Vale ressaltar que, conforme previsto nos contratos com as concessionárias, as empresas não podem realizar interrupções no serviço. Assim, a concessionária será notificada a prestar as informações/justificativas, estando sujeita às penalidades previstas nos contratos que podem ir desde multas operacionais até abertura de processo administrativo”.

Edição: Vitor Fernandes

Comentários