Impulsionado pelo preço da gasolina, custo de vida em BH tem nova alta, aponta pesquisa da UFMG

Comércio em BH
Custo da cesta básica em BH também apresentou novo crescimento (Amanda Dias/BHAZ)

Com a alta nos preços da gasolina em Belo Horizonte, o custo de vida na cidade aumentou 0,44% no mês de agosto, conforme pesquisas realizadas pela UFMG. Os estudos do mês mostraram uma alta generalizada nos valores da capital mineira, seja nos itens de consumo ou nas taxas de juros, Selic e de captação. Os estudos completos do Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de MG (Ipead/UFMG) podem ser acessados aqui.

De acordo com as pesquisas, a gasolina foi o item de maior contribuição para o aumento do custo de vida em BH de agosto, com alta de 2,06%. A alta também foi motivada pelos aumentos de 4,83% para “alimentos in natura”, de 2,61% para “alimentos industrializados”, de 2,14% para “vestuário e complementos”, de 1,47% para “alimentos elaboração primária” e de 1,06% para “alimentação em restaurante”.

O aumento no custo de vida na capital é medido pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e pelo Índice de Preços ao Consumidor Restrito (IPCR). Ainda conforme resultados divulgados pela UFMG, em agosto não houve itens com quedas significativas de preço.

Mais aumento

Outro fator considerado no cáculo do custo de vida em BH é a cesta básica. Ela também apresentou novo crescimento, de 1,10%, custando R$ 574,53 no mês. De acordo com a pesquisa, os principais responsáveis foram a banana caturra ( com alta de 16,37%), a batata inglesa (15,57%) e o chã de dentro (1,26%). A cesta básica continua apresentando uma alta variação acumulada igual a 19,98% nos últimos 12 meses.

A inflação acumulada nos últimos 12 meses está em 8,62%. Já a taxa Selic subiu para 5,25% ao ano desde a última reunião realizada pelo Comitê de Política Monetária (COPOM). “Todas as taxas de juros praticadas para pessoa jurídica apresentaram alta ou estabilidade, bem como praticamente todas as taxas de captação apresentaram alta”, informa o Ipead.

A Fundação Ipead é uma entidade sem fins lucrativos, credenciada pelo Ministério da Educação (MEC) e pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), como fundação de apoio à Faculdade de Ciências Econômicas (Face) da UFMG.

Gasolina em BH

Não é novidade que o preço do litro da gasolina só vem crescendo nos últimos tempos, não só em Belo Horizonte. O fator de maior contribuição para o aumento do custo de vida na capital ainda pode piorar a situação, já que a tendência é que os preços aumentem ainda mais.

Um levantamento do Mercado Mineiro, com 145 postos de combustível de BH e região metropolitana, apontou que o maior valor encontrado no litro da gasolina foi R$ 6,499 e o menor R$ 5,899. A previsão é de que o litro chegue a R$ 7 brevemente, assim como já acontece em algumas cidades do Brasil.

Com UFMG

Edição: Vitor Fernandes
Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde 2019 e graduanda em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Participou de reportagem premiada pela CDL/BH e pelo Prêmio Sebrae de Jornalismo em 2021, além de figurar entre os finalistas do Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados.

Comentários