Pesquisar
Close this search box.

Intoxicação em Betim: prefeitura afirma que mortes não têm ligação com whisky falso

Por

whisky falso betim
De acordo com a Prefeitura de Betim, a não relação da intoxicação com o whisky falso aconteceu após análises minuciosas (Divulgação/PCMG)

A Prefeitura de Betim confirmou, nessa quarta-feira (20), que as mortes registradas recentemente na cidade, por intoxicação, não têm relação com whisky falso. Ao todo, duas pessoas morreram e várias precisaram ser hospitalizadas. Nessa semana, a Polícia Civil prendeu suspeito de vendar as bebidas adulteradas.

A Vigilância Epidemiológica do Estado de Minas Gerais em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Betim realizaram a análise.

Em nota enviada ao portal BHAZ, o órgão afirma que não identificaram “evento ou bebida alcoólica específica comum entre esses casos apurados”.

Ainda de acordo com o documento, quando várias pessoas beberam o whisky falso, não houve relato de outras pessoas com sintomas parecidos.

As amostras biológicas dos pacientes foram encaminhadas ao Instituto Médico Legal (IML). Já a coleta das bebidas foram direcionadas para a Fundação Ezequiel Dias, mas ainda não há conclusão.

Mesmo assim, a Prefeitura faz um alerta para as pessoas, principalmente com dois feriados que estão prestes a chegar.

“Considerando sobretudo as datas festivas, a Secretaria Municipal de Saúde recomenda o consumo apenas de bebidas com procedência legal e registradas nos órgãos competentes. Recomenda, ainda, o consumo moderado de bebidas alcoólicas”, pontua.

Leia a nota da prefeitura de Betim na íntegra

Após análise minuciosa de cada um dos dez casos monitorados – pendentes de confirmação ou não de intoxicação exógena -, realizada durante esta quarta-feira (20) entre as equipes da Vigilância Epidemiológica do Estado de Minas Gerais e da Secretaria Municipal de Saúde, não foi identificado evento ou bebida alcoólica específica comum entre esses casos apurados. Nos casos em que o consumo ocorreu em ambientes coletivos, não houve relato de outras pessoas com sintomas semelhantes. Dessa forma, até o momento, não foi constatado vínculo epidemiológico, nem mesmo relação entre os mesmos e alguma bebida específica ou bebida adulterada.

Cabe ressaltar que as amostras biológicas provenientes dos pacientes acompanhados foram enviadas ao Instituto Médico Legal, e as amostras de bebidas recolhidas encaminhadas à Fundação Ezequiel Dias para perícias que ainda não foram concluídas pelos órgãos estaduais. A prefeitura ressalta ainda que a condução das investigações segue sob gestão do Estado e que o município mantém as ações de apoio e monitoramento.

Por fim, considerando sobretudo as datas festivas, a Secretaria Municipal de Saúde recomenda o consumo apenas de bebidas com procedência legal e registradas nos órgãos competentes. Recomenda, ainda, o consumo moderado de bebidas alcoólicas.

João Lages

Repórter no BHAZ desde setembro de 2023. Jornalista com 4 anos de experiência em veículos de comunicação. Fez cobertura de casos que têm relevância nacional e internacional. Com passagem pela RecordTV Minas, também foi produtor e editor de textos na Record News.

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ