Kalil vai dobrar o número de alunos nas salas de aula a partir de segunda-feira: ‘Escola não pode fechar’

Kalil
O prefeito ainda falou de um possível fechamento da capital (Amanda Dias/BHAZ)

O prefeito Alexandre Kalil (PSD) anunciou, na manhã desta quinta-feira (19), que vai permitir o dobro de alunos nas salas de aulas a partir da próxima segunda-feira (23). Em Belo Horizonte, as atividades presenciais estão autorizadas do ensino infantil até o ensino médio. O prefeito ainda disse que no caso de novas restrições, as escolas serão as últimas atividades a serem fechadas na capital.

“O que eu tenho para dizer é que os novos estudos disseram que a escola não é problema, então, a partir de segunda-feira, estamos decretando, vamos publicar o protocolo direitinho, dentro do que o Ministério Público quer para a reabertura, vamos dobrar o número de alunos. É uma experiência, e agora eu tenho a plena convicção de que escola não pode fechar”, disse o prefeito, em entrevista ao “Bom Dia Minas”, da TV Globo.

A regra atual não estabelece um número máximo de alunos por sala de aula, mas exige um distanciamento mínimo de 2 metros entre as pessoas, além do uso de máscara de proteção. Do ensino fundamental ao médio, as aulas estão funcionando em modelo híbrido, ou seja, mesclam atividades presenciais e a distância. Com isso, há um rodízio entre os estudantes.

As escolas ficaram fechadas por mais de um ano na capital mineira. Agora, segundo Kalil, novos estudos indicam que as instituições de ensino representam baixo risco de contaminação na pandemia. “O que chegamos à conclusão é que escola, diferentemente do que foi no início da pandemia, será a última coisa que vai fechar em Belo Horizonte”, afirmou.

O BHAZ entrou em contato com a Secretária Municipal de Educação para receber mais detalhes dos novos protocolos a serem implementados nas escolas, mas a pasta respondeu que as alterações serão publicadas no DOM (Diário Oficial do Município).

Aglomerações no Mineirão

Kalil ainda disse que a capital pode fechar novamente se a população não manter os cuidados preventivos contra a Covid-19. “Se acontecer o desastre, se a gente não usar máscara, se a gente aglomerar, igual aconteceu ontem infelizmente no Mineirão, se a gente fizer isso tudo, nós vamos ter que fechar tudo de novo”, disse.

O prefeito se refere às aglomerações registradas, na noite dessa quarta-feira (18), antes, durante e depois da partida entre Atlético e River Plate, nos entornos do Mineirão. A volta dos torcedores no estádio, pela primeira vez desde o início da pandemia, foi marcada pelo descumprimento de diversas medidas de segurança contra o novo coronavírus. O prefeito não descartou voltar a impedir a presença dos torcedores em partidas de futebol na capital mineira

Edição: Vitor Fernandes

Comentários