Pesquisar
Close this search box.

Um a cada cinco brasileiros teme que discussões políticas atrapalhem ceia de Natal

Por

ceia de natal assuntos proibidos
Política é tema delicado entre famílias (IMAGEM ILUSTRATIVA/Arquivo EBC)

Uma pesquisa do Quaest revelou que 21% dos brasileiros temem que discussões políticas entre familiares atrapalhem o Natal. Segundo dados divulgados pela jornalista Mônica Bergamo, nesta sexta-feira (22), 10% dos entrevistados dizem que as diferenças políticas foram decisivas para reunião natalina.

Mesmo um ano após as eleições presidenciais, é considerável o número de brasileiros que estão levando as questões políticas em conta para reunir a família neste Natal. Segundo a pesquisa do Genial/Quaest, 9% afirmam conhecer algum familiar que não vai às reuniões natalinas por questões ou brigas políticas.

Entre os jovens, o receio de discussões familiares é maior. De acordo com o levantamento, dentre as pessoas de 16 a 34 anos, 23% têm medo de que os encontros terminem em conflito, contra 20% de quem tem entre 35 e 59 anos, e 18% entre os mais velhos.

A diferença também é acentuada entre regiões. No Nordeste, o medo de brigas políticas é menor, representando 16% contra 23% no Sudeste, 20% no Sul e 23% no Centro-Oeste.

O percentual de quem tem medo de conflitos familiares por causa de política é parecido entre os eleitores de Lula (20%) e os de Bolsonaro (22%). Conforme a pesquisa, 82% dos brasileiros responderam que pretendem celebrar o Natal entre família.

Ceia de Natal e presentes

Em relação à ceia de Natal, o Genial/Quaest questionou se os comes e bebes deste ano serão mais fartos. Dos entrevistados, 25% disseram que sim, 36% declararam que seria igual ao ano passado, e 35% afirmaram que será pior.

Entre os eleitores de Lula e Bolsonao que responderam sobre a ceia de Natal, 39% dos que votaram no petista disseram que a ceia será mais farta, contra 10% dos apoiadores de Bolsonaro.

Quanto aos presentes de Natal, 22% disseram que vão comprar mais itens do que ano passado, 27% afirmaram que vão adquirir a mesma quantidade, e 48% responderam que as compras vão minguar.

67% dos eleitores de Bolsonaro dizem que vão comprara menos itens neste ano, contra 33% dos que votaram em Lula.

Andreza Miranda

Graduada em Jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2020. Participou de duas reportagens premiadas pela CDL/BH (2021 e 2022); de reportagem do projeto MonitorA, vencedor do Prêmio Cláudio Weber Abramo (2021); e de duas reportagens premiadas pelo Sebrae Minas (2021 e 2023).

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ