‘#CubaLibre’: Juliana Paes comenta post que manda socialistas terem ‘vergonha’ de ideologia

juliana paes
“Mas hoje tá um silêncio naquele Twitter… (ou tô delirando?) #cubalibre”, ironizou Juliana Paes nos comentários (Reprodução/@julianapaes/Instagram)

As polêmicas em torno do posicionamento político da atriz Juliana Paes ganharam um novo capítulo nesta terça-feira (13). Em um postagem em que a economista Renata Barreto condena a situação política e social vivida em Cuba, Paes decidiu alfinetar os internautas que a criticaram quando ela se afirmou “nem de esquerda, nem de direita“.

“Você socialista que usa camisetinha do Che Guevara. Que diz que Cuba tem democracia. Que diz que o problema econômico da Ilha é culpa do embargo, mas vive falando mal do livre-mercado. Você que apoia partidos e políticos que exaltam os absurdos perpetrados pelos socialistas. (…) NÃO DESVIE O OLHAR. Cuba é refém da ideologia que você defende. Tenha vergonha”, escreveu a autora do post.

“Mas hoje tá um silêncio naquele Twitter… (ou tô delirando?) #cubalibre”, ironizou Juliana Paes nos comentários. Sua mensagem recebeu o apoio de várias seguidores de Renata, incluindo o o maquiador Augustin Fernandes, apoiador declarado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“O dia de hoje não foi conveniente lutar pelo fim da fome, por vacina ou pela vida para a esquerda”, respondeu Augustin. Veja a publicação:

Juliana Paes ‘bolsonarista’?

Não demorou para que o comentário de Juliana Paes atingisse o público-alvo. No Twitter, diversos internautas se manifestaram contra a postura da atriz e a classificaram, novamente, como “bolsonarista”.

“Juliana Paes se gabando porque acha estar certa sobre Cuba sofrendo com falta de suprimentos. Tem gente sem emprego chorando com fome e com falta de suprimento todo dia aqui no Brasil, mas esse é o governo que ela apoia A elite do atraso, o puro suco da desgraça intelectual”, disse uma usuária da rede social.

“Juliana Paes não é bolsominion não, imagina”, ironizou outro internauta. Acompanhe um pouco da repercussão:

‘Eu não sou bolsominion’

No começo de junho, a atriz global virou o assunto das redes sociais ao publicar um vídeo em que critica a polarização na política brasileira. Ela decidiu postar o posicionamento depois de sofrer críticas por defender a médica Nise Yamaguchi, que participou da CPI da Covid. (veja aqui)

“Você critica a minha escolha de não militar, publicamente, escolhendo um dos lados políticos nesse debate todo, então deixa eu te falar sobre o que eu penso. Estamos vivendo um dos momentos mais nebulosos. O mundo inteiro está angustiado. Qualquer assunto é politizado. É um maniqueísmo. Eu não sou bolsominion, como adoram acreditar”, disse.

“Eu não admito ser colocada em nenhum desses dois polos. Não quero contribuir para essa polarização doentia. Não nesse momento obscuro, onde o ódio reverbera mais. Ou você é isso ou é aquilo. Isso não existe. Somos múltiplos”, finalizou a atriz.

Edição: Roberth Costa
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Estudante de jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e repórter do BHAZ desde 2021. Vencedora do 13° Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog.

Comentários