Pesquisar
Close this search box.

Rapper FBC é hostilizado em show no Rio ao falar em ‘luta contra o fascismo’

Por

FBC
Rapper precisou encerrar a apresentação 15 minutos mais cedo (Reprodução/@CaioGiovani/Twitter + @fbctadoido/Instagram)

O rapper belo-horizontino FBC foi hostilizado no fim de um show em um evento privado no Rio de Janeiro, nessa quinta-feira (18). Parte do público jogou objetos em direção ao artista enquanto ele exaltava a “luta contra o fascismo” e falou sobre o candidato à Presidência da República Léo Péricles (UP).

Ao BHAZ, o rapper conta que precisou encerrar a apresentação 15 minutos mais cedo, já que pessoas na plateia também começaram a brigar entre si. A festa antecedeu a abertura do festival Village, no Jockey Club do Rio de Janeiro, e a confusão começou quando ele cantou a música “Polícia Covarde”, do álbum “Baile“, lançado no ano passado.

“Era um evento só para convidados, quem estava ali era a elite carioca. Eu não falei nada, só cantei a música que estava no repertório. Algumas pessoas começaram a vaiar, e eu falei: ‘que lindo ver a galera vaiando o fascismo’. Aí começaram a tacar gelo, ainda poucas pessoas”, conta.

A reação dos fãs do artista foi “fazer o L” com as mãos, em referência ao presidente eleito Lula (PT). FBC conta que, nesse momento, parte da plateia começou a discutir e a jogar garrafas e gelo em direção ao palco.

“Eu falei: ‘não entendo vocês que defenderam um governo que em quatro anos estourou o orçamento e, quando Lula falou que ia acabar com a fome, ficam nervosos’. Começaram a balançar a grade, agredir quem estava fazendo o ‘L’, e eu tive que sair do palco”, explica o rapper.

Vídeo mostra confusão

Em um vídeo compartilhado pelo artista Caio Giovani no Twitter, FBC aparece falando com o público ao encerrar a apresentação. “Viva a luta contra o fascismo, MLB [Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas], Léo Péricles. Viva a luta contra o fascismo, viva a livre associação entre as pessoas”, disse.

Enquanto era hostilizado e atingido pelos objetos atirados, FBC ainda completou: “a gente está vivo, a gente vai lutar contra vocês”.

Ainda ao BHAZ, FBC fala sobre o fato de ter sido hostilizado no palco e diz nunca ter passado por nada parecido: “eu sei que o lugar ia estar cheio dessas pessoas, eu respeito. Sou artista, sabia que o pessoal do evento vota em outra pessoa, tem outra ideologia. Eu não ia chegar no lugar e falar sobre isso. Mas quando toquei ‘Polícia Covarde’, acabou o show, não quiseram ouvir”.

Ele reforça que a origem do rap é política e que não tem é possível desvincular um show da própria história de luta.

Outros artistas se manifestaram em apoio a FBC, como Djonga, Matheus Queiroz e Delatorvi. O próprio Léo Péricles também prestou solidariedade.

“FBC esteve caminhando ao nosso lado desde antes das últimas eleições, foi meu vizinho de ocupação e nunca teve medo de falar abertamente das suas posições”, publicou o presidente da UP no Twitter.

Tweet do Léo Péricles
Candidato à presidência demonstrou apoio ao rapper (Reprodução/Twitter)

Sofia Leão

Repórter do BHAZ desde 2019 e graduada em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Participou de reportagens premiadas pelo Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados, pela CDL/BH e pelo Prêmio Sebrae de Jornalismo em 2021.

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ