Homem é preso por gritar ofensas racistas e homofóbicas em biblioteca de SP

racista biblioteca
Homem de 39 anos foi preso em flagrante (Reprodução/Redes sociais)

Um homem de 39 anos foi preso após disparar ofensas racistas e homofóbicas na Biblioteca Mário de Andrade, no Centro de São Paulo (SP), na tarde de ontem (2).

De acordo com a Prefeitura de São Paulo, o frequentador “foi imediatamente levado para a 77ª Delegacia de Polícia para registro de ocorrência”. A Secretaria de Segurança Pública informou que o ele foi preso em flagrante e está à disposição da Justiça.

No vídeo gravado por frequentadores, o homem é visto com os livros “Minha Luta”, de Adolf Hitler, e “Uma breve história do tempo”, de Stephen Hawking. Ele é repreendido por uma funcionária do local e pela pessoa que está filmando.

‘Não gosto de negro’

O homem ainda é advertido que racismo é crime, mas ataca pessoas negras, fala da cultura e os associa a dependentes químicos e traficantes. Além disso, usa palavras de baixo calão para atacar a população LGBTQIA+.

“Eu não gosto de negro, a cultura deles é uma b*sta. Se prestasse, eles não eram discriminados pela sociedade”, dispara o homem.

Durante a fala, ele ainda relaciona pessoas negras a roubos de celulares no Centro de São Paulo. “Você acha que eu tô errado? Eu não gosto de negro não, quem gosta de macaco é o zoológico”.

Já havia tido problemas anteriores

Por meio de nota (leia abaixo na íntegra), a Prefeitura de São Paulo disse que “repudia veementemente as falas e atitudes nazistas, homofóbicas e racistas” do homem em questão. O órgão ainda afirma que ele já “havia tido problemas anteriores no espaço”.

A prefeitura ainda ressalta que “nos últimos meses, a Biblioteca Mário de Andrade, tal como diversos outros equipamentos culturais da cidade, tem se empenhando em treinar a sua equipe para lidar com atitudes racistas, transfóbicas e misóginas em seus espaços, ao mesmo tempo em que vem desenvolvendo um trabalho de conscientização junto aos seus servidores”.

Preso em flagrante

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informa que o homem “foi preso em flagrante após proferir injúrias”, às 13h, dessa terça-feira. Segundo o órgão, “o autor estava ofendendo uma mulher, de 39 anos, e uma idosa, de 66”.

“O caso foi registrado como injúria e preconceitos de raça ou de cor (praticar a discriminação) pelo 2º Distrito Policial (Bom Retiro), onde ficou detido à disposição da Justiça”.

Nota da Prefeitura de São Paulo

“A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, repudia veementemente as falas e atitudes nazistas, homofóbicas e racistas do frequentador flagrado na tarde desta terça-feira (02) na Biblioteca Mário de Andrade (BMA), um espaço marcado pelo respeito às diferenças de gênero, raça, orientação sexual e pela celebração da diversidade.

Após o ocorrido, o frequentador, que já havia tido problemas anteriores no espaço, foi imediatamente levado para a 77ª Delegacia de Polícia para registro de ocorrência. A Prefeitura ressalta que racismo é crime inafiançável, pela Constituição Federal, lei n.º 7.716, de 5 de janeiro de 1989.

Nos últimos meses, a Biblioteca Mário de Andrade, tal como diversos outros equipamentos culturais da cidade, tem se empenhando em treinar a sua equipe para lidar com atitudes racistas, transfóbicas e misóginas em seus espaços, ao mesmo tempo em que vem desenvolvendo um trabalho de conscientização junto aos seus servidores.

A Prefeitura esclarece que as pastas da Cultura e de Direitos Humanos e Cidadania estão em diálogo para tratar do caso”.

Vitor Fernandesvitor.fernandes@bhaz.com.br

Sub-editor no BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva do Portal UOL. Com reportagens vencedoras nos prêmios CDL (2018, 2019, 2020 e 2022), Sindibel (2019), Sebrae (2021) e Claudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados (2021).

Comentários