Pesquisar
Close this search box.

Suspeitos de matar médico mineiro em emboscada são presos em SP

Por

médico mineiro morto
Heleno Veggi Dumbá era natural de Muriaé, na Zona da Mata mineira (Reprodução/Redes sociais)

A Polícia Civil de São Paulo prendeu, na noite da última terça-feira (9), dois suspeitos de envolvimento na morte do médico mineiro Heleno Veggi Dumbá, de 35 anos. O crime foi em 29 de março, em São Paulo, e está sendo investigado como latrocínio.

O psiquiatra morreu após ser baleado durante um assalto no Jardim Elisa Maria, na Zona Norte de São Paulo. Heleno era natural de Muriaé, na Zona da Mata mineira.

Ao BHAZ, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou que a dupla foi conduzida à 4ª Central Especializada de Repressão a Crimes e Ocorrências Diversas (Cerco), onde o caso está sendo investigado.

“A autoridade policial solicitou a prisão temporária dos suspeitos, que foi decretada pela Justiça. Ambos seguem presos. Outras diligências estão em andamento”, acrescentou a corporação.

Golpe do Tinder

O crime foi por volta das 21h44, na rua Pedro Pomar, na Brasilândia, zona norte da capital paulista. No local, os policiais viram um veículo Nissan/Kicks e no interior do carro, a vítima de 35 anos, já sem sinais vitais e com ferimentos causados por disparos.

Segundo o g1, um dos presos é suspeito de ter atraído o médico para o local do crime, enquanto o outro é teria atirado contra ele. Há a suspeita de que a vítima tenha sido atraída por meio de um falso encontro amoroso, prática conhecida como “golpe do Tinder” ou “golpe do amor”.

“Aqui é uma região bastante utilizada pelos criminosos para atrair vítimas a pretexto de realizar encontros por meio de aplicativos de relacionamento, né? Então, acredito que a principal linha de investigação nesse momento preliminar vai nesse sentido”, afirmou o delegado César Bastos Queiroz.

Larissa Reis

Graduada em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2021. Vencedora do 13° Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog. Também participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022.

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ