Pesquisar
Close this search box.

Governo libera vacina bivalente da Covid para maiores de 18 anos, mas BH ainda não tem previsão de aplicação

Por

vacina bivalente
Ministério da Saúde ampliou a vacinação com a dose de reforço bivalente para toda a população acima de 18 anos (Rodrigo Clemente/PBH)

O Ministério da Saúde liberou, nessa segunda-feira (24), a vacinação bivalente contra a Covid-19 para toda a população acima de 18 anos. Conforme a prefeitura de Belo Horizonte, porém, não há previsão de aplicar a medida na capital.

“A Prefeitura de Belo Horizonte informa que segue as diretrizes do Plano Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde e aguarda o envio de doses para ampliar a imunização”, disse o órgão por meio de nota ao BHAZ.

O Ministério da Saúde disponibiliza as vacinas à Secretaria de Estado de Saúde. Por fim, os governos repassam as doses aos municípios.

No comunicado, a PBH reafirma a “disponibilidade de pessoal e de todos os insumos necessários para a imediata aplicação do imunizante, tão logo as vacinas cheguem a Belo Horizonte”.

Vacinação contra a Covid em BH

Até o momento, a prefeitura convocou os seguintes públicos para tomar a vacina bivalente da Covid em Belo Horizonte:

  • Pessoas com comorbidades a partir de 12 anos;
  • Trabalhadores da saúde;
  • Idosos com 60 anos completos ou mais;
  • Gestantes e puérperas (mulheres que entraram em trabalho de parto há menos de 45 dias);
  • Pessoas com deficiência permanente;
  • Indígenas;
  • Quilombolas;
  • Pessoas com alto grau de imunossupressão maiores de 12 anos.

Os endereços dos locais de vacinação estão disponíveis on-line.

O que levar?

Para a vacinação, é imprescindível a apresentação de documento de identidade com foto e CPF, além do cartão de vacinas.

Além disso, a pessoa que for se vacinar também não pode ter tido Covid-19 com início de sintomas nos últimos 30 dias.

Para as gestantes não há exigência de exames para a comprovação da gravidez, basta que a mulher afirme a situação gestacional para ser imunizada.

Por fim, as puérperas devem apresentar um documento que comprove o puerpério, como certidão de nascimento, cartão da gestante ou documento do hospital onde ocorreu o parto.

Quem pode tomar a vacina bivalente?

De acordo com a pasta, a orientação vale para quem já recebeu ao menos duas doses de vacinas monovalentes – isto é, Coronavac, Astrazeneca ou Pfizer – como esquema primário ou dose de reforço.

Quem está com o ciclo incompleto ou com alguma dose de reforço pendente também pode procurar uma unidade de saúde.

“Eu quero conclamar a união de todos pelo nosso Movimento Nacional pela Vacinação. É um movimento do Ministério da Saúde, dos estados, dos municípios e toda a sociedade civil. A ciência voltou e precisamos retomar a confiança da população nas vacinas, é uma missão de todos nós”, disse a ministra da Saúde, Nísia Trindade.

Com o novo anúncio do governo, 97 milhões de cidadãos já podem reforçar a proteção contra o vírus.

Nicole Vasques

Jornalista formada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), escreve para o BHAZ desde 2021. Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022.

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ