Ômicron XE: Ministério da Saúde confirma nova subvariante da Covid no Brasil

Subvariante apareceu pela 1ª vez em Londres
(Imagem ilustrativa/Viktor Forgacs/Unsplash)

Uma nova subvariante da Covid-19 foi identificada no Brasil neste mês de abril. O Instituto Butantan informou que encontrou uma pessoa infectada com a variante denominada XE, que mistura duas modalidades da Ômicron. A nova subvariante é mais facilmente transmitida que as suas antecessoras, porém ainda não há estudos que digam que ela seja mais perigosa.

A subvariante XE é uma combinação de duas cepas diferentes da Ômicron: BA.1 e BA.2. Segundo o Instituto Butantan, a taxa de crescimento dela é 10% superior à da cepa BA.2, ou seja, ela é mais transmissível. Além disso, o Instituto informa que ainda não há evidências suficientes acerca de mudanças, vantagens e desvantagens da circulação da nova variante em aspectos como gravidade, transmissão e eficácia de vacinas já existentes.

O caso foi confirmado pelo Ministério da Saúde, que divulgou nota anunciando que recebeu a notificação do Instituto Butantan, nesta quinta-feira (7). A pasta também acrescentou que “mantém o constante monitoramento do cenário epidemiológico da covid-19”. O primeiro caso foi mapeado na cidade de Londres, em janeiro deste ano.

Baixa adesão infantil em BH

Depois de quase três meses após o inicio das campanhas de vacinação contra a Covid-19, somente 28,1% das crianças tomaram a segunda dose na capital mineira. Já na faixa etária dos 5 aos 11 anos, 73,5% dos pequenos foram vacinados com a primeira dose. A baixa adesão à vacinação infantil na cidade pode ser percebida por meio de dados do boletim epidemiológico divulgado pela PBH (Prefeitura de Belo Horizonte).

Segundo o boletim epidemiológico, com dados atualizados até o dia 1º de abril, apenas 54 mil crianças retornaram aos postos para completar o esquema vacinal.

Edição: Roberth Costa
Giulia Di Napoligiulia.di.napoli@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários