Cidadãos já podem participar de mutirão nacional de negociação de dívidas; entenda

Dinheiro
Serão aceitos débitos atrasados no cartão de crédito, cheque especial, crédito consignado e outros (Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Os cidadãos que têm dívidas em atraso com instituições financeiras já podem aproveitar o mês de março para participar de um mutirão nacional de negociação. A iniciativa, que vale de 7 a 31 deste mês, permite que o devedor tenha a oportunidade de conhecer e quitar seus débitos em atraso, além de acessar conteúdo exclusivo sobre educação financeira.

O Mutirão Nacional de Negociação de Dívidas e Orientação Financeira é promovido pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) em parceria com o Banco Central do Brasil, a Secretária Nacional do Consumidor (Senacon) e a Associação Brasileira de Procons (ProconsBrasil).

A negociação será feita por meio do portal nacional do consumidor, neste link, que conta com a participação de mais de 160 instituições financeiras. Serão aceitos débitos atrasados no cartão de crédito, cheque especial, crédito consignado e outros.

Na página, entre outras ferramentas, o interessado pode encontrar o link para o Registrato, sistema do Banco Central por meio do qual o cidadão pode acessar o Relatório de Empréstimos e Financiamentos (SCR), que contém a lista de dívidas em seu nome junto às instituições financeiras.

Como participar?

São alvo da campanha pessoas físicas com dívidas que não possuem bens dados em garantia; que estejam em atraso e em nome de uma pessoa natural; e tenham sido contraídas de bancos ou financeiras.

Os financiamentos de veículos e imóveis, por exemplo, não poderão ser objeto de negociação no mutirão.

Entenda como funciona a adesão ao mutirão de negociação de dívidas:

  • O consumidor pode optar por negociar com a instituição credora dentro da plataforma, ou diretamente com os canais digitais de negociação dos bancos.
  • Na plataforma, o consumidor encontra um modelo de reclamação no qual o consumidor pode se basear para redigir a sua solicitação.
  • O banco tem o prazo de 10 dias para analisar o pedido e apresentar uma proposta.

O coordenador do Procon Assembleia, Marcelo Barbosa, reforça que esta é uma boa oportunidade para que o consumidor com dívidas em atraso possa quitar seus débitos, voltar a ter crédito e tirar seu nome dos cadastros de proteção ao crédito, como SPC e Serasa.

Edição: Roberth Costa
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde 2019 e graduanda em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Participou de reportagens premiadas pelo Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados, pela CDL/BH e pelo Prêmio Sebrae de Jornalismo em 2021.

Comentários