Árbitra de futebol sofre agressão de jogador na Argentina e pede justiça: ‘É uma pessoa violenta’

árbitra agredida argentina
A árbitra foi levada ao hospital e o agressor foi preso (Reprodução/Redes sociais)

Um incidente brutal provocou a suspensão do jogo de futebol entre os times Garmense e Deportivo Independência, na Argentina. A árbitra Dalma Magalí Cortadi, que apitava a partida no domingo (31), foi agredida com um soco nas costas pelo jogador Cristian Tirone, do Garmense, que foi preso após o ataque.

O ato de violência aconteceu durante uma confusão generalizada em campo na partida do campeonato regional em Tres Arroyos, na província de Buenos Aires, capital do país. “É preciso suspendê-lo para sempre, não deveria estar jamais em um clube. É uma pessoa violenta, também deve ser em sua vida cotidiana”, afirmou a árbitra, que denunciou o atleta à Justiça.

Agressão

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra que a confusão começou após a marcação de uma falta pela árbitra. Inconformado, um atleta do Garmense, que estava vencendo o jogo, chutou a bola para fora e foi expulso. Logo após, um dos goleiros do time reclamou com a árbitra e também recebeu cartão vermelho.

Neste momento, o jogador Cristian Tirone saiu correndo em direção à árbitra Dalma, atingindo-a por trás. O soco foi próximo ao pescoço da mulher, que caiu no chão imediatamente. Logo depois, o atleta foi afastado por um árbitro, enquanto ela se levantou sozinha.

Muitos policiais precisaram entrar no gramado para conter e prender Cristian, que continuou resistindo (vídeo abaixo). A árbitra precisou ser levada a um hospital da região e não foi diagnosticada com ferimentos graves.

Árbitra pede justiça

Em contato com o jornal argentino “Olé”, a árbitra falou sobre o ocorrido. “Nada tinha acontecido. Nem justifica que este homem tenha reagido dessa forma. Eles estavam ganhando e eu tinha cobrado uma falta”, relembrou.

Sobre o contato com o jogador após o ocorrido, Dalma afirmou: “Quando caí com o golpe, perdi a consciência. Ele não falou comigo e eu fui para o vestiário. Depois que tive alta do hospital, fomos para a delegacia”.

Além disso, a árbitra pediu justiça no caso. “A verdade é que agora estamos em um momento delicado. Com a família, vamos pensar o que fazer. O importante agora é que a justiça seja feita, que não volte a acontecer”, frisou. “Vamos trabalhar, muitos de nós vivem disso, gostamos e fazemos por vocação. Queremos que a justiça seja feita e que este homem pague pelo que fez. Isso é o importante”, disse.

Por fim, a profissional também agradeceu o apoio recebido pelos colegas de profissão. “Em Tres Arroyos temos grandes árbitros e grandes colegas, que tiveram uma grande responsabilidade ao me acompanhar e estar comigo”, concluiu Dalma Cortadi.

Clube se manifesta

Após o ocorrido, o Garmense, time no qual o agressor atua, veio a público reprovar a atitude de Cristian Tirone e prestar apoio à juíza. “O Clube manifesta o seu enérgico repúdio à esta ação que está em desacordo com o espírito que se pretende incutir com a prática deste desporto”, diz parte da nota oficial.

“A Instituição se solidariza com a juíza agredida, expressa suas desculpas, se coloca à disposição dela, e se compromete a continuar trabalhando para erradicar a violência em todas as suas formas e formar atletas com valores como: disciplina, camaradagem, comprometimento e, acima de tudo, respeito e tolerância”, conclui o clube.

Edição: Roberth Costa
Beatriz Kalil Otherobeatriz.othero@bhaz.com.br

Jornalista formada pela UFMG, é colaboradora do BHAZ desde 2020. Participou de reportagens premiadas pela CDL/BH em 2021 e 2022, e pela Rede de Rádios Universitárias do Brasil em 2020.

Comentários