Daniel Alves é transferido de prisão na Espanha por questões de segurança

O jogador deve ficar em uma cela separada com banheiro (Lucas Figueiredo/CBF)

O jogador brasileiro Daniel Alves, preso na última semana por denúncia de estupro contra uma mulher em uma boate de Barcelona, na Espanha, foi transferido de prisão nesta segunda (23) por questões de segurança.

Segundo o jornal “La Vanguardia“, Alves foi enviado nesta manhã ao presídio de Brians 2, que fica a cerca de 40 km de Barcelona, para evitar riscos à integridade física do jogador. Segundo a Secretaria de Justiça do governo da Catalunha, não houve nenhuma ameaça, e a transferência é preventiva.

Ele deve ficar em uma cela individual com banheiro. A Secretaria de Justiça do governo da Catalunha não divulgou detalhes da transferência. Um dos principais argumentos do governo para a transferência é o de evitar a exposição do jogador, que é bastante conhecido na região.

O presídio de Brians 1, onde Alves estava desde sexta-feira (20), abriga uma quantidade maior de presidiários e possui celas maiores. Assim, os celas são compartilhadas por mais pessoas.

Já o presídio de Brians 2 tem celas menores e até individuais e costuma abrigar condenados “famosos”.

Novas imagens

Imagens gravadas por câmeras de segurança mostraram Daniel Alves junto com a mulher que o denuncia por estupro fechados dentro de um banheiro por cerca de 15 minutos. A informação foi divulgada pelo jornal espanhol El Periódico.

Segundo o jornal, foram as imagens que levaram o atleta a mudar a versão inicial e admitir que conhecia a mulher. Agora, ele afirma ter praticado sexo consensual com ela. Daniel Alves teve a prisão preventiva decretada pela Justiça espanhola na sexta-feira (20).

Mudança de versões

De início, Daniel Alves publicou um pronunciamento nas redes sociais sobre a denúncia, no último dia 5. Ele confirmou que estava na boate Sutton no dia, mas, além de negar quaisquer crimes, ele ainda afirmou que não conhecia a mulher que o acusa de estupro.

No entanto, segundo El Periódico, as gravações das câmeras de segurança do estabelecimento foram decisivas para as investigações da Unidade Central de Agressões Sexuais da Polícia da Catalunha.

As imagens mostram que Daniel Alves e a denunciante ficaram dentro do banheiro da boate por cerca de 15 minutos, um intervalo de tempo incompatível com o primeiro relato do jogador. Foi isso que o levou a dar outra versão à juíza.

Interrogado pela magistrada, o atleta de 39 anos afirmou que o que aconteceu com a mulher no banheiro foi consensual. No entanto, ainda segundo o jornal, as gravações e os testemunhos colhidos pela polícia não coincidem com nenhuma das versões que Daniel Alves deu.

Estupro e agressão

A imprensa de Barcelona, que acompanha o caso de perto, afirma que há fortes indícios contra o jogador, que também é acusado de agressão. A prisão foi decretada pela juíza espanhola Maria Concepción Canton Martín logo após o depoimento pelo risco do jogador fugir, na sexta-feira.

Segundo a vítima, ela dançava na boate Sutton, em Barcelona, com amigos, no dia 30 de dezembro de 2022. Ela afirma que Daniel Alves a tocou por baixo de sua roupa íntima sem consentimento, e que o jogador a levou ao banheiro e a forçou a fazer sexo com ele.

A vítima ainda relatou aos amigos o que aconteceu e procurou a segurança do local, que seguiu os trâmites para casos de agressão sexual. A polícia foi até a boate, mas o jogador já tinha ido embora no momento da chegada das autoridades.

Edição: Roberth R Costa
Isabella Guasti[email protected]

Jornalista graduada pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2021. Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022 e também de reportagem premiada pelo Sebrae Minas em 2023.

SIGA O BHAZ NO INSTAGRAM!

O BHAZ está com uma conta nova no Instagram.

Vem seguir a gente e saber tudo o que rola em BH!