Pesquisar
Close this search box.

Sport e Vasco se pronunciam após confusão na Ilha do Retiro; entenda o caso e possíveis punições

Por

sport vasco futebol confusão
O árbitro Raphael Claus detalhou a confusão na súmula (Daniel Ramalho/Vasco da Gama)

Após a confusão no final do empate entre Sport e Vasco na noite de ontem (16) na Ilha do Retiro, em Recife, os dois clubes se manifestaram sobre o ocorrido.

Nos minutos finais da partida, quando o Sport tinha a vantagem de 1 a 0 no placar, o árbitro Raphael Claus marcou pênalti para o Vasco após checar o monitor do VAR. Na cobrança de Raniel aos 49 minutos, gol da equipe carioca e início da confusão que repercute em todo o país (entenda abaixo).

A três rodadas do fim da Série B, as duas equipes brigam pelo acesso à Série A. Após o empate por 1 a 1, o Vasco se manteve em 4º lugar, com 56 pontos, enquanto o Sport ocupa a 5ª colocação, com 53 pontos.

Gol do Vasco e confusão na torcida do Sport

Após o gol do Vasco, Raniel celebrou o empate com os companheiros em frente à arquibancada da sede, setor destinado a membros de uma organizada do time pernambucano. Durante a comemoração, diversos objetos foram arremessados na direção dos jogadores vascaínos (vídeo abaixo).

Em questão de segundos, alguns torcedores do Sport arrombaram um dos portões de acesso ao gramado, dando início à confusão no gramado. Uma bombeira que prestava serviços na partida sofreu chutes de um dos homens que invadiu o campo. Outro bombeiro foi violentado com um soco no rosto.

O Sport informou que abriu um boletim de ocorrência contra o agressor e que prestou solidariedade aos profissionais. Em meio à confusão, até os jogadores da equipe de Recife tentaram conter um torcedor (vídeo mais abaixo).

https://twitter.com/realfutebolnews/status/1581756357937532928?s=20&t=7DM4BBKpd2o_yO6x6dzkmQ

O que diz a súmula de Sport 1 x 1 Vasco

As cenas de barbárie no campo foram descritas pelo árbitro Raphael Claus na súmula da partida. “Durante a comemoração do gol da equipe do Vasco da Gama, próximo à torcida do Sport, muitos objetos foram atirados ao campo de jogo em direção aos jogadores, entre eles pedras, chinelos, tênis, isqueiros e copos com líquido”, inicia.

Ainda de acordo com o árbitro, após a invasão, alguns torcedores agrediram jogadores do Vasco, que correram para os vestiários. No documento, Claus também relata as agressões aos bombeiros: “Um senhor e uma senhora bombeiros civis que estavam trabalhando próximos ao portão, inclusive continuaram sendo agredidos após a senhora já estar caída e o senhor tentando protegê-la”.

Por fim, o árbitro explicou o motivo do fim do jogo após o gol, decretado cerca de 45 minutos após a paralisação da partida. “Comunicamos o encerramento da partida por não sentir segurança em relação a minha integridade física e dos demais profissionais envolvidos no jogo, além do ambiente totalmente impossibilitado para a prática do esporte futebol, a partida foi encerrada”.

Jogadores expulsos

No documento oficial, o árbitro também falou sobre a expulsão de dois jogadores do Vasco, que teve de ser feita apenas na súmula, em decorrência dos “incidentes causados pela torcida da equipe mandante”. Receberam cartão vermelho o meio-campista Luiz Henrique e o atacante Raniel, autor do gol vascaíno.

Luiz Henrique e Raniel foram expulsos (Reprodução/cbf.com.br)

Sport: ‘Coisa de moleque’

Após a confusão, pouco antes das 22h, o Sport divulgou um pronunciamento oficial sobre o acontecido.

Ele criticou a decisão do pênalti a favor da equipe carioca. “O Sport sofreu e vem sofrendo com falta de critério entre o VAR e juiz de campo. Não é choro. Não é choro de perdedor, até porque não perdemos”, afirmou Augusto Carreras, vice-presidente de futebol do clube.

Além disso, Carreras criticou a postura dos atletas vascaínos. “Você vê atletas que não tem o menor preparo para vestir uma camisa de um time da grandeza do Vasco. Coisa de moleque. De ir para uma torcida e depois querer colocar a culpa na torcida do Sport. Não estou defendendo a torcida, mas a provocação partiu dos atletas que estão em campo, que estão ali para dar o espetáculo”, disparou. Confira o vídeo completo abaixo.

Vasco: ‘Situação constrangedora e perigosa’

Por volta das 23h, o Vasco também divulgou um comunicado oficial nas redes sociais. “Gostaríamos de estar falando com a imprensa, que veio trabalhar, e com torcida vascaína. Mas estamos presos dentro do vestiário na Ilha do Retiro. Uma situação constrangedora e perigosa”, afirmou Paulo Bracks, diretor de futebol. 

Bracks informou as circunstâncias naquele momento: “O vestiário tem duas portas, mas uma está quebrada com os nossos baús segurando. Houve uma tentativa de invasão ao vestiário. A gente teve profissionais, atletas e pessoas do nosso staff agredidos após o término da partida”.

Por fim, o diretor de futebol do Vasco falou sobre a reunião que decidiu pelo término do jogo. “Representantes de cada lado, mandante e visitante e com a Polícia Militar presente. Por falta de segurança no prosseguimento da partida, o árbitro deu o jogo por encerrado. Uma decisão sensata, para que se evitasse uma tragédia maior”, disse. Assista:

Sport pode ser punido?

O Sport, time mandante, corre o risco de ser punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Isso porque o time pode ser enquadrado no artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD).

As possíveis punições incluem multa de R$ 100 a R$ 100 mil, e perda de um a dez mandos de campo, por “deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir” as seguintes infrações:

  • Desordens em sua praça de desporto;
  • Invasão do campo ou local da disputa do evento desportivo;
  • Lançamento de objetos no campo ou local da disputa do evento desportivo.

Torcedores lamentam confusão em Sport x Vasco

Nas redes sociais, o caso repercutiu em todo o país e torcedores de diversos clubes se posicionaram sobre o ocorrido. “Quem tem que punir Raniel é o árbitro, ele ia ser e até foi. A invasão que ocasionou tudo”, escreveu uma internauta. Leia alguns comentários:

Beatriz Kalil Othero

Jornalista formada pela UFMG, escreve para o BHAZ desde 2020, e atualmente, é redatora e fotógrafa do Portal. Participou de reportagens premiadas pela CDL/BH em 2021 e 2022, e pela Rede de Rádios Universitárias do Brasil em 2020.

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ