Mulher finge ter câncer terminal, arrecada R$ 114 mil em doações e é condenada

mulher finge câncer condenada
Megan Scotcher criou uma página para arrecadar fundos após falso diagnóstico de câncer (Reprodução/Mirror UK)

Uma mulher que fingiu ter câncer terminal e gastou mais de 16 mil libras esterlinas (cerca de R$ 114 mil) em doações foi condenada a 10 meses de prisão em Ripley, na Inglaterra. Megan Scotcher, 28, criou uma página online de arrecadação de fundos alegando que médicos descobriram uma massa em seu cérebro, e que ela teria sido diagnosticada com câncer.

A Corte inglesa ouviu como Scotcher aceitou dinheiro entre junho e dezembro de 2020 em doações de caridade, incluindo de uma pessoa que participou de um passeio de bicicleta de mil quilômetros para arrecadar dinheiro para ela e seus filhos, segundo informações do Mirror UK.

O promotor Gurdial Singh disse que Scotcher foi diagnosticada com câncer quando era adolescente, mas entrou em remissão. No ano passado, ela disse à família que tinha voltado e que era terminal. “Uma página no GoFundMe foi criada e houve publicidade no Derby Telegraph e depois no jornal The Sun sobre a situação dela”.

Muitas mentiras

A mãe da ré foi à escola junto com os netos e Scotcher, e também arrecadaram 2,3 mil libras esterlinas (cerca de R$ 16,6 mil). “Em outubro do ano passado, a ré disse à mãe que tinha uma massa no cérebro e só viveria até janeiro”. Mas a mulher ficou desconfiada quando a filha a fez esperar do lado de fora das consultas do hospital. Ela costumava dizer que não poderia ir até lá por causa da Covid-19.

“A mãe da acusada então tentou entrar em contato com o oncologista responsável pela filha, mas ele não existia”. Singh disse que Scotcher, agora mãe de três filhos, que deu à luz uma filha há apenas dois meses, tentou se suicidar.

Sem ficha criminal e condenação suspensa

Scotcher, que não tem condenações anteriores de qualquer tipo, anteriormente se declarou culpada de fraude por link de vídeo em uma audiência no mesmo tribunal em 3 de junho. Ela disse à polícia que se endividou com um ex-parceiro.

Com uma sentença de prisão de 10 meses, o juiz Steven Coupland disse a Scotcher: “Você mentiu sobre ter câncer terminal para roubar doações de caridade. Você contou uma mentira terrível para sua família e amigos. O que você fez foi sério e causou muitos transtornos à família, amigos e pessoas que generosamente contribuíram e que se sentiram usadas”. A pena, contudo, foi suspensa por um ano, e a condenada ficará sob observação da Justiça.

Vitor Fernandes
Vitor Fernandesvitor.fernandes@bhaz.com.br

Editor e repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva do Portal UOL. Com reportagens vencedoras nos prêmios CDL (2018, 2019 e 2020), Sindibel (2019), Sebrae (2021) e Claudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados (2021).

Comentários