Pesquisar
Close this search box.

VÍDEO: Homem ‘rola’ no chão com pitbull para defender cadela de ataque em Minas Gerais

Por

homem defende cadela ataque pitbull
Um homem de Juiz de Fora ficou ferido após tentar proteger a cadela dele do ataque de um pitbull na manhã dessa quarta-feira (Reprodução/Redes sociais)

Um morador de Juiz de Fora, na Zona da Mata, ficou ferido após tentar proteger a cadela dele do ataque de um pitbull na manhã dessa quarta-feira (24). Vídeo mostra que o homem de 52 anos chegou a rolar no chão com o animal para tentar tirá-lo de cima da cadelinha.

À Polícia Militar, a vítima contou que escutou o pet chorando na garagem. Quando chegou lá, viu o pitbull arrastando e mordendo a cadela.

Ao tentar impedir o ataque, o homem foi mordido e sofreu ferimentos nas pernas e braços. Segundo ele, o cachorro tinha uma corda no pescoço ao invés de uma coleira, o que sugere que ele teria fugido.

Cachorro não foi recolhido

O Corpo de Bombeiros de Juiz de Fora foi acionado para o caso, já que o tutor do pitbull não apareceu após o ataque. A vítima teve que amarrá-lo em uma grade na casa dele após o ocorrido.

Em nota, os bombeiros disseram que “enfrentam dificuldades quanto à destinação do animal em ocorrências dessa natureza, considerando que os órgãos municipais não estão aceitando cachorros desse porte e raça”.

O Corpo de Bombeiros informou, ainda, que não dispõe de abrigo para cães, profissionais veterinários ou qualquer estrutura que possa amparar cães sadios ou doentes.

“Além disso, não conseguimos realizar a guarda dos cães em quartéis do Corpo de Bombeiros, por não ser o local adequado, há o risco de contaminação cruzada, por se tratar de uma tropa aquartelada e que procede atendimento e transporte pré-hospitalar”, diz a nota.

Ataques têm sido recorrentes

Os casos de ataques de pitbulls têm sido recorrentes no Brasil. No começo do mês, três cachorros atacaram a escritora Roseana Murray enquanto ela caminhava em Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. No ataque, a escritora teve o braço e a orelha direita arrancados pelos animais.

Gravemente ferida e desmaiada, ela ainda foi arrastada pelos cães por cerca de 5 metros. A escritora recebeu alta na última semana.

Também neste mês, um idoso de 71 precisou ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros após ser atacado por um pitbull em Montes Claros, no Norte de Minas Gerais.

O homem teve ferimentos nas mãos, braços e perna esquerda. Aos bombeiros, ele relatou que o cachorro apareceu na sua propriedade rural, mas que ninguém sabia de onde o animal teria vindo.

Solução é ‘educar humanos’, diz especialista

O presidente da Comissão de Defesa dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil no Rio de Janeiro (OAB-RJ), Reinaldo Veloso, avaliou que o centro da discussão não deve ser os animais, mas a responsabilização do tutor em relação aos ataques de pitbull. “É importante que a sociedade saiba que não é questão de matar os animais, mas educar os humanos”.

“Os humanos é que têm que seguir a legislação vigente. O Brasil tem que deixar de ser um país de faz de conta e as pessoas precisam respeitar a legislação. A legislação é clara e diz que todos os animais de grande porte, como fila, rottweiler e pitbull, têm que andar em áreas comuns, que as pessoas frequentam, com focinheira, coleira, guia. E que seja confortável para os animais”, disse em entrevista à TV Brasil.

Larissa Reis

Graduada em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2021. Vencedora do 13° Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog. Também participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022.

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ