Robô enviado a Marte pela Nasa encontra papel alumínio ‘misterioso’

nasa
O que surpreendeu a Nasa foi a distância em que o objeto foi localizado – a cerca de dois quilômetros do local em que o robô desembarcou (Nasa/Divulgação)

Um robô enviado a Marte pela Nasa encontrou um objeto “inesperado” em meio às rochas do planeta vermelho nesta semana. Imagens registradas por ele mostram o que parece ser um pedaço de papel alumínio preso entre duas pedras.

“Minha equipe detectou algo inesperado: é um pedaço de um cobertor térmico que pode ter vindo na minha descida, do jet pack movido a foguete que me desembarcou no dia do pouso em 2021”, anunciou o perfil do robô Perseverance, no Twitter.

O que surpreendeu a agência espacial americana, no entanto, é a distância em que o objeto foi localizado – a cerca de dois quilômetros do local em que o robô desembarcou no ano passado. “Este pedaço pousou aqui depois disso ou foi levado pelo vento?”, questiona Perceverance.

‘Expandir o conhecimento humano’

O robô foi lançado ao espaço no dia 30 de julho de 2020, chegando a Marte apenas em 18 de fevereiro de 2021. A expedição faz parte do programa “Exploração de Marte“, que tem o objetivo de “responder a questões de origem e evolução da vida”, além de estudar a possibilidade do planeta vir a ser “um destino para a sobrevivência da humanidade”.

Desde então, o Perseverance tem buscado sinais de vida no planeta e coletado amostras de rocha e solo para serem analisadas. Para isso, ele se utiliza de um sistema de câmera avançado com capacidade de imagem panorâmica e estereoscópica.

“No geral, muitas das questões-chave na ciência do sistema solar podem ser abordadas efetivamente explorando Marte. Esse esforço também serve para inspirar a próxima geração de exploradores e expandir drasticamente o conhecimento humano”, acrescenta a agência.

Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Graduada em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2021. Vencedora do 13° Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog.

Comentários