Segurança de festa é morto a socos por convidado impedido de entrar em camarote: ‘Fiz porque quis’

edson carlos
Edson morreu logo após ser agredido por um convidado de uma festa em que trabalhava (Reprodução/Facebook)

Atualização às 22:10 do dia 26/09/2021 : Matéria atualizada com vídeo do momento da prisão de Pedro Lacerda.

Um homem de 42 anos foi morto enquanto fazia a segurança de uma festa, em Divinópolis, na região Centro-Oestes de Minas, nesse sábado (25). A vítima foi atingida por um golpe com soco-inglês. A polícia prendeu o agressor em flagrante. Pedro Lacerda , de 32, disse para o organizador do evento que agrediu Edson Carlos Ribeiro “porque quis”. A Polícia Civil investiga o caso.

De acordo com a Polícia Militar (PM), frequentadores da festa tentavam reanimar o segurança quando viaturas chegaram ao Parque de Exposições. Pedro foi contido por outras pessoas que trabalhavam no evento.

Uma das testemunhas contou que descia do camarote quando viu Edson sendo atingido com um soco. A vítima caiu já inconsciente e o suspeito tentou fugir. Um outro homem também afirmou ter visto a agressão praticada contra o segurança do evento.

‘Fiz porque quis’

O organizador da festa também foi ouvido. O homem relatou que após perguntar a Pedro o motivo da agressão, recebeu como resposta: “Fiz porque quis”.

O agressor teria tentado entrar em um camarote, mas foi impedido, já que o ambiente era controlado por pulseira de acesso. Antes de ser agredido e morto, Edson chegou a advertir o suspeito por urinar em local inapropriado.

A vítima foi atingida por um golpe no rosto com soco-inglês. A arma, conforme registrado na ocorrência, foi repassada pelo suspeito para uma mulher. Pedro – que é dono de uma loja de produtos eletrônicos na cidade – negou autoria do crime e disse que não sabia o motivo da prisão.

Apesar da negativa, outros frequentadores da festa confirmam que ele foi o responsável pelo golpe que matou Edson.

Revolta

O assassinato de Edson gerou revolta na cidade. Uma manifestação foi realizada na tarde de hoje, em Divinópolis, denunciando o racismo sofrido pelo segurança. “A guerra está declarada. Não vamos ficar pra sempre pacíficos. Fogo nos racistas. Esta luta não vai parar aqui”, disseram os populares que participaram.

‘Querido por todos’

A produção da festa “A Revoada” se manifestou lamentando a morte do segurança. “Edson era um trabalhador querido por todos, que sempre cumpriu seu dever com seriedade, compromisso e honestidade”, diz em um dos trechos da nota enviada ao BHAZ.

“Estamos em luto pela perda de um profissional e colega exemplar, que cumpria suas funções com simpatia e dedicação”. Os organizadores destacaram que os demais shows foram cancelados após a morte de Edson. “Desejamos e clamamos para que a justiça seja feita”, pedem.

Investigação

A Polícia Civil foi procurada pela reportagem e informou que o suspeito foi preso em flagrante. “Ele foi encaminhado ao sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça”.

Mais informações do caso vão ser repassadas após a conclusão do inquérito, segundo a corporação.

Nota de “A Revoada”

“A produção do evento “A Revoada” manifesta o seu profundo pesar pela morte do segurança Edson Carlos Ribeiro, ocorrida na noite de ontem (25/09).

Edson era um trabalhador querido por todos, que sempre cumpriu seu dever com seriedade, compromisso e honestidade.

Na data de ontem, Edson estava apenas realizando o seu trabalho, buscando o seu sustento e de sua família, e teve sua vida ceifada, de forma covarde.

Os primeiros socorros foram prestados ainda no local, no entanto, os socorristas não obtiveram êxito nas manobras para tentar salvar a vida de Edson. Após isso, o evento foi encerrado, e os demais shows que ocorreriam na noite, cancelados.

Estamos em LUTO pela perda de um profissional e colega exemplar, que cumpria suas funções com simpatia e dedicação.

A produção do evento está contribuindo com as investigações do caso e à disposição das autoridades policiais e judiciais para demais esclarecimentos.

Neste momento de dor, estamos em solidariedade e apoio à família, amigos e colegas de Edson, por esta perda irreparável.

Por fim, desejamos e clamamos para que a justiça seja feita”.

Nota da Polícia Civil

“Sobre os fatos registrados ontem (25) em Divinópolis, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) ratificou a prisão em flagrante do suspeito, 32 anos, por lesão corporal seguida de morte. Ele foi encaminhado ao sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça. A investigação segue em andamento na Delegacia Regional de Polícia Civil em Divinópolis. Mais informações serão repassadas após a conclusão do inquérito”.

Edição: Vitor Fernandes
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas pelo prêmio CDL.

Comentários