Evangélica, Priscila Alcantara diverge de Bruna Karla ao falar de LGBTs+ e viraliza: ‘É muito triste, é podre’

Priscilla declarou posicionamento de Bruna como podre e inadmissível
Priscilla declarou posicionamento de Bruna como podre e inadmissível (Reprodução/PocCast/Positivamente Podcast/YouTube)

A cantora Priscilla Alcantara falou em entrevista ao “PocCast” sobre a polêmica a respeito do posicionamento homofóbico da também cantora Bruna Karla. A artista foi convidada pela dupla Lucas Guedez e Rafa Uccman ao podcast nessa quarta-feira (22). O programa possui quase três horas de conversa, mas o trecho em que Priscilla fala sobre fé e pessoas LGBT+ viralizou nas redes sociais.

Durante o programa exibido ao vivo no Youtube, Rafa Ucmann pediu para que Priscilla cantasse no casamento dele, o que ela aceitou prontamente respondendo que já estava escolhendo o repertório. “O murro na Bruna Karla”, brincou Rafa. Após a descontração, o apresentador aproveitou para questionar Priscilla o que ela acha da declaração de Bruna Karla, que afirmou que não iria ao casamento de um amigo gay e que pessoas LGBT+ vão para o inferno.

“É muito triste, é podre. É errado em muitos níveis. Cara, toda vez que eu for abrir a boca, a minha preocupação não deve ser emitir a minha opinião. Primeiro que opinião não foi feita para ser dada, ela foi feita para ter. Você só dá a sua quando te pedem”, iniciou Priscilla.

‘Vou dar vida ou morte?’

Além disso, a cantora explicou que é preciso empatia e que todos deveriam pensar como as próprias falas atingem aos outros antes de se expressar. “Quando você vai falar, você tem que fazer o exercício de sempre pensar em como a sua fala vai atingir o próximo. […] O que eu acredito é que eu tenho que ter cuidado em como as coisas que eu falo vai refletir em sua vida“, continuou.

Priscilla ainda afirma que a fala de Bruna Karla é inadmissível e vai contra o que está escrito na Bíblia. “Jesus fala: ‘novo testamento vos dou. Ame os próximos assim como eu te amei’”, ressaltou. A cantora reiterou que acredita em Deus e no amor, não na violência. “Eu não vivo minha fé dessa forma: ‘enquanto eu adoro a Deus, eu mato alguém’. Não existe isso, não reflete o Deus que eu acredito”, afirmou.

“O ponto não é dar sua opinião. O ponto é: em que isso impacta a vida do meu próximo? Eu vou dar vida ou morte para ele? As minhas palavras vão te matar ou trazer vida? Vão te fazer sentir amado ou vai te desumanizar? A minha priodidade é você, garantir que você vai se sentir amado, digno, livre”, finalizou.

Repercussão

Nas redes sociais, a fala de Priscilla Alcantara gerou mais polêmica sobre o assunto e a discussão da relação dos evangélicos com a comunidade LGBTQIA+. “Pela primeira vez na vida eu concordei com um posicionamento da Priscilla Alcântara”, escreveu uma internauta impressionada.

Porém, muitas discussões estão surgindo ao redor da fala da cantora. Algumas pessoas não acreditam que esse seja mesmo o pensamento da artista. “Nossa tenho uns 70 tipo de treco diferente em relação a Priscilla Alcântara kkk essa menina é tão hipócrita aiai ranço”, escreveu outra pessoa.

Relembre a polêmica

A cantora gospel Bruna Karla reacendeu o debate sobre homofobia por parte de líderes religiosos ao revelar, em entrevista, ter recusado ir ao casamento de um amigo gay. Durante o trecho do podcast que viralizou nessa semana, a artista ainda cravou que homossexuais vão para o inferno. Assim que o vídeo do momento passou a circular nas redes sociais, Bruna Karla e as declarações dela tornaram-se alvo de manifestações na internet: famosos como Xuxa e Anitta, entre outros, condenaram as falas da cantora, enquanto pastores conhecidos do grande público saíram em defesa dela, argumentando ainda que a artista tem sido perseguida.

A polêmica entrevista foi concedida por Bruna Karla a Karina Bacchi, em dezembro de 2021, mas o trecho com o comentário em questão só viralizou na última semana. “Teve um amigo que me perguntou: ‘Bruna, quando eu me casar, você vai no meu casamento?’ e eu olhei para ele, fui bem sincera e disse: ‘Ah, quando você se casar com uma mulher linda e cheia do poder de Deus, eu vou, sim’”, disse ela.

“E ele falou assim: ‘Você sabe que não é isso que eu tô perguntando’. Estou falando de um amigo, homossexual, que a gente tem essa liberdade. E eu falei que o dia que eu aceitar cantar no seu casamento com outro homem, eu posso parar de cantar sobre a Bíblia e sobre Jesus”, continuou a cantora.

Edição: Roberth Costa
Giulia Di Napoligiulia.di.napoli@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários