Psicanalista vê apologia ao estupro em música de Israel e Rodolffo e sertanejo reage

israel e rodolffo
‘Me atiçou, vai ter que dar uma namorada’, cantam Israel e Rodolffo em sua nova música (Reprodução/@israelerodolffo/Instagram)

A nova música da dupla Israel e Rodolffo, lançada na última sexta-feira (19), já está no centro de uma grande polêmica. Em vídeo publicado nesse sábado (20), a psicanalista Manuela Xavier, que soma mais de 330 mil seguidores no Instagram, disse que a letra de “Dar Uma Namorada” reforça a culpabilização das vítimas de estupro.

“O vídeo de hoje é pra fazer um repúdio à música lançada agora pela dupla Israel e Rodolffo que faz uma apologia ao estupro e a gente precisa falar sobre isso”, começa a especialista. “A música conta a história de um ‘desenrole’ ali de um casal e ele fala assim: ‘Me atiçou, vai ter que dar uma namorada'”, continua.

“Essa música, escrita hoje, em 2021, com a mentalidade de 1920, diz que se a mulher for estuprada a culpa é dela. Porque ela atiçou, ela provocou. Qualquer semelhança com ‘qual era a roupa que ela usava?’, ‘mas ela tava pedindo’, ‘mas ela tava fazendo doce’, não é mera coincidência”, analisa Manuela.

‘A letra é unissex’

A publicação logo repercutiu na rede social e acabou chegando até Rodolffo, ex-BBB e intérprete da canção. Nos comentários, o sertanejo disse que a psicanalista “pesou a mão” na análise e tentou justificar a letra, dizendo que ela é “unissex”.

“Eu acho que você está exagerando nas observações, pois a gente faz música para homem e para mulher. Uma mulher pode cantar para um homem essa letra, ela é unissex. É uma música alegre, descontraída, para as pessoas se divertirem cantando”, escreveu.

Por fim, Rodolffo disse ser “totalmente a favor da causa” feminista, mas afirma que não aceitará as críticas da psicanalista. “Vir criticar o meu trabalho induzindo as pessoas a pensarem que é uma música machista, não. Foi feita para mulher cantar também”, termina o músico.

‘Eu sei o que é cultura do estupro’

Em resposta ao sertanejo, Manuela Xavier diz que não precisa que o cantor a explique o que é machismo. “Eu sou uma mulher. Eu sei o que é cultura do estupro. Não será você, um homem, a me dizer o que é ou não machista. Até porque isso seria muito machista, concorda?”, disse.

Por fim, ela pede que Rodolffo se informe sobre as temáticas com quem realmente estuda e vivencia o tema. “Converse com mulheres. Converse com coletivos feministas. Nesse vídeo eu explico perfeitamente o por que dessa música ser um erro. Gaste 5 minutos do seu tempo e aprenda”, finaliza.

Edição: Roberth Costa
Larissa Reis[email protected]

Graduada em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2021. Vencedora do 13° Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog. Também participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022.

SIGA O BHAZ NO INSTAGRAM!

O BHAZ está com uma conta nova no Instagram.

Vem seguir a gente e saber tudo o que rola em BH!