Vídeo de falsa vacinação em BH viraliza e enfermeira é demitida

enfermeira-demitida-por-nao-aplicar-vacina
A família da idosa voltou à unidade e ela recebeu uma nova dose da vacina (Reprodução/@malutamietti/Instagram)

Uma idosa de 77 anos foi enganada por uma enfermeira que fingiu aplicar a vacina contra a Covid-19 nela em um posto de saúde na região Leste de Belo Horizonte. O caso ocorreu ontem (9) no bairro Boa Vista. A família da vítima filmou a vacinação e, apesar de não perceberem o erro no momento, conseguiram ver depois que a seringa usada na idosa estava vazia, sem o imunizante contra o novo coronavírus.

O caso veio à tona nesta sexta após publicação nas redes sociais de uma antiga vizinha da idosa. Segundo o portal R7, a família da idosa chegou a voltar no posto de saúde e mostrou o vídeo para a coordenação da unidade, que liberou a aplicação de uma nova dose.

Vídeo mostra que enfermeira não pressionou a seringa (Reprodução/@malutamietti/Instagram)

Prefeitura desligou a funcionária

Segundo os familiares da vítima, a seringa que foi usada para aplicar a dose foi encontrada em uma das lixeiras da unidade de saúde. A família fez um boletim de ocorrência contra a funcionária. Ao BHAZ, a Secretaria Municipal de Belo Horizonte informou que a enfermeira foi desligada do quadro de funcionários (leia abaixo a nota completa).

Nota da Prefeitura de Belo Horizonte na íntegra

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informa que foram feitas todas as apurações necessárias sobre o caso. Durante a conferência, foi identificado pela equipe do Centro de Saúde que a dose não havia sido aplicada na idosa. A vacinação foi imediatamente autorizada e a profissional será desligada.

Caso parecido também termina em demissão

Outro caso que resultou na demissão de uma enfermeira ocorreu em janeiro deste ano na cidade do Paraná. A Prefeitura de Cascavel demitiu uma enfermeira que furou a fila de vacinação contra a Covid-19.

Servidora da Secretaria Municipal de Esportes, a mulher foi ao Centro de Exposições de Cascavel, onde ocorre a imunização. Lá, ela tentou tomar a dose da vacina, mas foi informada de que não fazia parte do grupo prioritário. Depois, disse que cumprimentaria uma pessoa em uma das cabines e recebeu a dose.

O prefeito de Cascavel, Leonaldo Paranhos (PSC), falou a respeito do caso em uma live transmitida por meio das redes sociais. Além da enfermeira que recebeu a dose do imunizante, a responsável pela aplicação da vacina também foi afastada das atividades junto à campanha de vacinação.

“Encaminhamento para o processo administrativo, para o Ministério Público e, se for o caso, prisão. Prisão para quem tentar burlar aquilo que é a determinação. Cadeia. Porque é falta de ética, é falta de responsabilidade, é crime contra a saúde pública”, disse o prefeito na gravação.

Outras polêmicas

Desde que a vacinação contra o novo coronavírus teve início no Brasil, diferentes casos de profissionais furando filas têm sido relatados. Há ainda aqueles que descumprem protocolos relacionados à imunização.

Em Belo Horizonte, uma enfermeira da maternidade Odete Valadares foi afastada depois que doses da Coronavc “sumiram”. Já na Grande BH, a Prefeitura de Santa Luzia exonerou um servidor, ex-secretário de Esportes, por furar a fila da vacinação. Em Maceió, a Prefeitura também afastou uma funcionária que “fingiu” aplicar uma dose da vacina em uma idosa.

Outro caso polêmico envolveu duas irmãs de uma família considerada de elite em Manaus. Elas teriam sido contratadas para atuar no combate à Covid e, pouco depois, receberam a dose do imunizante contra a doença.

A enfermeira Nathana Ceschim, por sua vez, virou assunto depois de ironizar a vacina contra a Covid. Ela gravou um vídeo em que disse que tomou a dose do imunizante por querer viajar. Ela foi demitida do hospital em que trabalhava e ainda corre o risco de perder o direito de exercer a profissão junto ao Cofen (Conselho Federal de Enfermagem).

Edição: Roberth Costa
Jordânia Andrade
Jordânia Andradejordania.andrade@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde outubro de 2020. Jornalista formada no UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) com passagens pelos veículos Sou BH, Alvorada FM e rádio Itatiaia. Atua em projetos com foco em política, diversidade e jornalismo comunitário.

Comentários