Home Veículos Acelera aí Estudo mostra otimismo de motoristas em relação aos carros autônomos

Estudo mostra otimismo de motoristas em relação aos carros autônomos

A tecnologia do carro autônomo ainda precisa de muitos ajustes até virar algo, digamos, mais real, mais do nosso dia a dia. As expectativas dos consumidores com relação a esse tipo de carro, porém, são as melhores possíveis. Um recente estudo divulgado pelo Instituto Capigemini revela que a preferência do consumidor por andar em carros autônomos deve dobrar nos próximos cinco anos.

Os consumidores acreditam que os carros autônomos vão assumir
um papel maior em suas vidas diárias (Foto: Google/Divulgação)

Pela pesquisa, hoje apenas 25% dos entrevistados preferem os autônomos. Mas até 2024 esse percentual vai subir para 52%.

A resposta positiva sugere que os consumidores enxergam enormes benefícios nos veículos autônomos. Entre eles estão a eficiência de combustível, redução nas emissões de carbono e economia de tempo.

O sentimento de otimismo é tão grande que 56% dos pesquisados pagariam até 20% a mais para ter este tipo de automóvel.

Leia também: 3008 mais autônomo

Mobilidade

Os resultados também apontam para uma mudança na percepção da mobilidade. Os consumidores acreditam que os carros autônomos vão assumir um papel maior em suas vidas diárias. E vão além do ato de dirigir, para obter autonomia na execução de tarefas e completar tarefas domésticas.

Quase metade dos entrevistados do estudo estaria confortável com carros autônomos executando uma tarefa em seu nome. E mais da metade confiaria neles para deixar ou buscar amigos e familiares que não dirigem.

Além disso, um em cada dois entrevistados espera que os autônomos possam ajudar a economizar tempo para realizar outras atividades.

Áreas-chave

A Capgemini identificou quatro áreas-chave como foco para acelerar a jornada rumo a um futuro autônomo. São elas:

  1. Mantenha o cliente informado: da percepção do consumidor, o carro está agora passando de um meio de transporte para um assistente quase pessoal. Essa mudança coloca um fardo significativo de responsabilidade sobre a montadora, que deve ser franca sobre as capacidades do veículo e evitar qualquer risco de informação errônea;
  2. Compreender e reafirmar: o estudo mostrou que os consumidores têm uma visão clara da experiência que esperam de um carro autônomo. As empresas automotivas fariam bem em entender as expectativas do consumidor e associá-las ao próprio processo de design, ao mesmo tempo em que investem e comunicam os elementos de segurança e proteção dos veículos;
  3. Construindo um ecossistema de serviços: as expectativas em torno do potencial de carros sem motoristas destacam a necessidade clara de as empresas automotivas expandirem seu escopo de ofertas ao consumidor. Os consumidores esperam uma ampla variedade de experiências dentro do carro, que vão desde entretenimento ao trabalho e serviços de saúde. Fornecer essas experiências e convertê-las em oportunidades de negócios exigirá que as empresas automotivas façam parceria com um novo conjunto de players de tecnologia, conteúdo e comércio, a fim de criar um ecossistema completo de serviços;
  4. Investimento em software: como um setor industrializado, extremamente transformador, as empresas automotivas precisam se integrar os veículos autônomos à estratégia geral da empresa e em todas as divisões de seus negócios. Isso só pode ser alcançado com o desenvolvimento de competências de software que requerem a melhoria da qualificação da força de trabalho e o desenvolvimento de novas parcerias para garantir o domínio digital em diferentes funções de negócios.

Leia também: X-Trail roda quase sozinho

O Instituto Capigemini realizou a pesquisa com 5.538 consumidores em seis países da Europa, América do Norte e Ásia em dezembro de 2018. Também foram entrevistados 280 executivos de fornecedores e empresas de tecnologia, além de líderes da indústria automotiva.

Todo o resultado do estudo foi publicado no relatório “The Autonomous Car: A Consumer Perspective” (“O Carro Autônomo: Uma Perspectiva do Consumidor”).

Volvo Cars and Uber present production vehicle ready for self-driving

O Volvo XC90 recém-apresentado é o primeiro modelo de produção que,
em combinação com o sistema autônomo do Uber (foto: Volvo Cars/Divulgação)

Volvo e Uber

A Volvo Cars e o Uber vão produzir em conjunto de automóveis 100% autônomos. Desde 2016 as empresas desenvolvem vários protótipos destinados a impulsionar o desenvolvimento de carros 100% autônomos. O Volvo XC90 recém-apresentado é o primeiro modelo de produção que, em combinação com o sistema autônomo do Uber, é capaz de dirigir sozinho.

O SUV sueco é equipado com os principais recursos de segurança da Volvo Cars que permitem que o Uber instale facilmente seu próprio sistema direção autônoma, tornando possível a implantação futura desses carros na frota de veículos da empresa, operando como um serviço autônomo de compartilhamento de viagens.

Acesse também: www.aceleraai.com.br

Acelera Ai

Acelera Ai

Jornalistas Eduardo Aquino e Luís Otávio Pires são os editores do site Acelera Aí e da seção veículos do portal Bhaz

Comentários