Home NotíciasBHBH terá ciclovia provisória de 30 km durante a pandemia

BH terá ciclovia provisória de 30 km durante a pandemia

bh ciclovia temporaria

Para tentar desafogar o transporte público e o trânsito durante o período da pandemia, a PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) criou uma extensa ciclovia que liga a região Oeste à região Leste da capital. O trecho já está disponível. Além disso, há ainda uma ligação com o Hipercentro. A via foi criada utilizando a estrutura já existente de ciclovias nas regiões, alguns trechos provisórios foram implementados.

Mapa BHTrans
Mapa mostra ciclovia temporária implantada em BH (Divulgação/PBH)
Leia mais: Bar convida atleticanos para assistirem jogo ‘em off’ na Pampulha

De acordo com a coordenadora de sustentabilidade e meio ambiente da BHTrans (Empresa de Transporte e Trânsito de Belo Horizonte), Eveline Trevisan, a pandemia incentivou a instalação do projeto que tem o objetivo de criar uma nova alternativa de transporte mais segura e saudável.

“O objetivo é permitir uma opção de deslocamento individual, com segurança, para se deslocar pela cidade. Agora, as pessoas poderão cruzar da região do Barreiro, saindo pela Tereza Cristina, até o final da Andradas, passando pelo Centro, destino muito desejado pela população”, explica.

A ciclovia

Leia mais: Covid-19: OMS afirma que talvez nunca exista cura ou vacina

Ao todo, são cerca de 30 km de extensão, entre trechos de ciclovias já existentes e as ciclofaixas temporárias que ligam a região do Barreiro à Avenida dos Andradas, no bairro São Geraldo.

Ampliação

Em uma segunda fase, a PBH estuda a integração de mais 4,7 km de ciclofaixa no trecho da Avenida Tereza Cristina, localizado no município de Contagem. “Ainda estamos em negociação para implantar esse trecho e esperamos, em breve, conseguir implantá-lo”, explica Eveline.

As ciclofaixas temporárias têm sinalização com pinturas, cones e balizadores delimitando a área destinada ao tráfego das bicicletas. É fundamental que motoristas e motociclistas entendam que as ciclofaixas são um espaço para os ciclistas e, por meio do respeito mútuo, todos possam compartilhar a via de forma segura.

Placas e faixas de pano estão sendo implantadas, orientando o trânsito sobre a existência das ciclofaixas. “Agora, nós vamos monitorar o uso das vias e contabilizar o número de ciclistas que passarem no local para mostrar para a população que a bicicleta pode ser uma alternativa de transporte para cidade. E, quem sabe, essa estrutura não se torne permanente”, ressalta a coordenadora.

Rafael D'Oliveira

Rafael D'Oliveira

Repórter do BHAZ desde janeiro de 2017. Formado em Jornalismo e com mais de cinco anos de experiência em coberturas políticas, econômicas e da editoria de Cidades. Pós-graduando em Poder Legislativo e Políticas Públicas na Escola Legislativa.

Comentários