Covid-19: BH reduz intervalo de aplicação de dose de reforço da vacina

Vacina contra Covid-19
A partir da próxima semana, idosos de 85 a 82 anos já poderão receber a dose de reforço (Fernando Frazão/Agência Brasil)

A PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) informou que o intervalo de aplicação entre a segunda dose e a dose de reforço da vacina contra a Covid-19 será reduzido para 5 meses. A decisão foi tomada após deliberação da CIB (Comissão Intergestores Bipartite) de Minas Gerais.

A partir da próxima semana, idosos de 85 a 82 anos já poderão receber a “terceira dose”. Quem tiver recebido a segunda dose há pelo menos 5 meses estará elegível para reforçar a imunização contra a doença.

Ainda segundo a PBH, os trabalhadores da saúde de 18 anos ou mais também serão novamente convocados para a dose de reforço, “considerando que novos profissionais podem ter sido contratados para a área e, em muitos casos, ainda não completaram o prazo mínimo entre as aplicações”.

Para este público, o intervalo mínimo de 5 meses entre a segunda e a terceira dose também é necessário. A prefeitura também fará ações de repescagem para alguns públicos vacinados com a Pfizer.

Cronograma

Confira o cronograma atualizado de vacinação contra Covid-19 para a próxima semana:

  • Segunda-feira (15): não haverá vacinação;
  • Terça-feira (16): dose de reforço para trabalhadores da saúde a partir de 18 anos, completos até 30 de novembro, cuja segunda dose tenha 5 meses. É necessário levar o cartão de vacina, documento de identidade, CPF e documento que comprove ser trabalhador em atividade em estabelecimentos de saúde de Belo Horizonte;
  • Quarta-feira (17): dose de reforço dose para pessoas de 85 e 84 anos cuja data da segunda dose tenha completado 5 meses. É necessário levar o cartão de vacina, o documento de identidade, CPF e comprovante de residência em Belo Horizonte;
  • Quinta-feira (18): dose de reforço para pessoas de 83 e 82 anos cuja data da segunda dose tenha completado 5 meses. É necessário levar o cartão de vacina, o documento de identidade, CPF e comprovante de residência em Belo Horizonte;
  • Sexta-feira (19):
    • repescagem de dose de reforço para idosos cuja data da segunda dose tenha completado 5 meses. É necessário levar o cartão de vacina, o documento de identidade, CPF e comprovante de residência em Belo Horizonte;
    • repescagem de dose adicional para pessoas com alto grau de imunossupressão a partir de 18 anos, cuja segunda dose tenha sido há pelo menos 28 dias. É necessário levar o cartão de vacina, o documento de identidade, CPF, comprovante de residência em Belo Horizonte, além de documento que comprove a condição de saúde;
    • repescagem de segunda dose para pessoas de 29, 26, 25, 24, 22, 21 e 20 anos vacinadas com a Pfizer. É necessário levar o cartão de vacina, o documento de identidade e CPF.
  • Sábado (20): não haverá vacinação.

Locais de vacinação

Em Belo Horizonte, os locais de vacinação funcionam de segunda a sexta-feira de 8h às 17h – para pontos fixos e extras. Já os pontos drive-thru operam no horário de 8h às 16h30.

Há também três pontos de vacinação com horário noturno, que funcionam de segunda a sexta-feira. Confira os horários e endereços: 

  • UFMG Campus Saúde (Escola de Enfermagem): avenida Professor Alfredo Balena, 190 – Santa Efigênia – Funcionamento das 12h às 20h;
  • Faculdade Pitágoras: rua dos Timbiras, 1.375 – Funcionários – Funcionamento das 8h às 20h;
  • UNA-BH: rua Aimorés, 1.451 – Lourdes – Funcionamento das 8h às 20h. 

Antes de se deslocar aos locais listados, é necessário conferir os endereços no site da prefeitura, já que eles estão sujeitos à alterações. Para evitar filas e aglomerações, a Secretaria Municipal de Saúde recomenda que o usuário se vacine no dia da convocação.

Documentos necessários

Para que idosos possam receber a dose de reforço, é necessário ser residente de Belo Horizonte, apresentar o comprovante de endereço, cartão de vacinação, e também ter recebido a segunda dose no prazo de 5 meses.

Até o momento já foram convocadas para receber a dose de reforço idosos de 89 anos e mais e de 88 a 64 anos.

Para os trabalhadores da saúde, também é necessário ter recebido a segunda dose no prazo de 5 meses.

Além disso, é preciso apresentar o cartão de vacina, documento de identidade, CPF e documento que comprove ser trabalhador em atividade em estabelecimentos de saúde de Belo Horizonte, como por exemplo, o registro no conselho profissional (para profissionais de saúde) e documento que comprove a vinculação ativa do trabalhador com serviço de saúde localizado em Belo Horizonte por meio da apresentação de:

  • Comprovante de pagamento (contracheque); ou
  • – Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) com especificação da função; ou
  • – Contrato de trabalho; ou
  • – Relatório do CNES; ou
  • – Declaração de Imposto sobre a Renda; ou
  • – Declaração de vinculação ativa como trabalhador de saúde emitida pelo serviço de saúde.

Pessoas com alto grau de imunossupressão

Para que as pessoas com alto grau de imunossupressão possam receber a dose adicional é necessário ter tomado a segunda dose há pelo menos 28 dias. Seguindo as orientações do Ministério da Saúde, estão elegíveis para a vacinação os usuários nas condições abaixo:

  • Imunodeficiência primária grave;
  • Quimioterapia para câncer;
  • Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras;
  • Pessoas vivendo com HIV/Aids;
  • Uso de corticoides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias;
  • Uso de drogas modificadoras da resposta imune, como Metotrexato, Leflunomida, Micofenolato de mofetila, Azatiprina, Ciclofosfamida, Ciclosporina, Tacrolimus, 6-mercaptopurina, Biológicos em geral (infliximabe, etanercept, humira, adalimumabe, tocilizumabe, Canakinumabe, golimumabe, certolizumabe, abatacepte, Secukinumabe, ustekinumabe) Inibidores da JAK (Tofacitinibe, baracitinibe e Upadacitinibe).
  • Auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias;
  • Pacientes em hemodiálise;
  • Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas.

No momento da vacinação, o público precisa seguir as seguintes orientações:

  • Apresentar exames, receitas, relatório médico e/ou prescrição médica emitidos em até 12 meses antes da data da convocação para a dose adicional devendo conter o número do registro do respectivo conselho de classe, de forma legível;
  • Apresentar documento de identificação com foto e CPF;
  • Apresentar comprovante de residência em Belo Horizonte;
  • Não ter tido Covid-19 com início de sintomas nos últimos 30 dias.

Além das orientações acima, é necessário que o público contemplado apresente um comprovante, podendo ser utilizado: laudos, declarações, prescrições médicas ou relatórios médicos (emitidos em até 12 meses antes da data da vacinação), assinado e carimbado, em versão original.

Edição: Giovanna Fávero
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde 2019 e graduanda em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Participou de reportagens premiadas pelo Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados, pela CDL/BH e pelo Prêmio Sebrae de Jornalismo em 2021.

Comentários