Pesquisar
Close this search box.

Caso Camilla Groppo: Autoridades confirmam surto por micobactéria em clínica de dentista em BH

Por

camilla groppo
A dentista, suspeita de causar infecções em pacientes após lipos de papadas em BH, teria entregado diplomas falsos, segundo a Polícia (Reprodução/@dra_camillagroppo/Instagram)

A Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte confirmou um surto por mirobactéria não tuberculosa de crescimento rápido na clínica da dentista Camilla Groppo. Pacientes procuraram a polícia depois que desenvolveram infecção no rosto após o procedimento de lipoaspiração de papada.

A Secretaria Municipal de Saúde informa que foi notificada de 16 casos de pacientes que foram atendidas no local. “Cabe destacar que configura um surto a relação entre esses casos”, disse a pasta.

Segundo a secretaria de saúde, a infecção por essa micobactéria pode gerar quadros graves, com formação de abcessos, e o tratamento engloba procedimentos cirúrgicos e uso de antimicrobianos por tempo prolongado.

“Após a vistoria da Vigilância Sanitária, em 11 de março, foi realizada a interdição do local, por apresentar irregularidades que colocam em risco a saúde dos pacientes. O estabelecimento segue fechado e totalmente interditado”, destacou a prefeitura.

Caso haja descumprimento da decisão, a clínica pode ser multada em até R$ 9.979,53 e os proprietários podem responder processo civil-público.

Ao BHAZ, a Polícia Civil disse que a mulher está sendo investigada e o inquérito policial segue em tramitação com a realização de diligências. O caso também é investigado pelo Ministério Público de Minas Gerais.

A reportagem procurou por Camilla Groppo para saber se a investigada tem interesse em se manifestar novamente sobre o caso e aguarda o retorno.

Registro desativado

Em consulta no site do Conselho Regional de Odontologia (CRO), consta que Camilla era registrada com uma inscrição provisória, de abril de 2022, que já se encontra desativada.

Ao BHAZ, o CRO informou que “a inscrita encontra-se com seu registro desativado por não ter apresentado o diploma de graduação em tempo hábil para conversão da sua inscrição provisória em definitiva”.

“À época de sua inscrição, este prazo consistia em um período de dois anos. A inscrição provisória é concedida àqueles que apresentam declaração de conclusão do curso da faculdade. Com o registro desativado/caducado a profissional não pode exercer a odontologia, nem mesmo fazer cursos”, explicou o Conselho.

O CRO-MG disse, ainda, que acompanhou a interdição da clínica e que abriu um processo de fiscalização, além de ter expedido, no dia 20 de março de 2024, uma Portaria de Interdição Ética do estabelecimento, proibindo que outros profissionais atuem nele.

Também ao BHAZ, o Centro Universitário Newton Paiva confirmou que Camilla frequentou o curso de Odontologia na instituição e que se formou como bacharela em Odontologia em 2022, tendo seu diploma emitido conforme regulamentação do Ministério da Educação.

O que diz Camilla Groppo

Em nota enviada ao BHAZ em 22 de março, a assessoria de imprensa de Camilla Groppo informou que a dentista que realizou a inscrição no Conselho Regional de Odontologia em 04 de abril de 2022, sendo concedido o registro provisório.

“À época de sua inscrição, este prazo consistia em um período de dois anos, o que não invalidava sua aptidão a todos os cursos realizados e pacientes atendidos”, diz o comunicado.

“Todavia, a Resolução CFO-257, de 24 de agosto de 2023, atualizou o prazo para o recém-formado, com inscrição provisória, exercer a profissão nessas condições pelo período de seis meses, apenas na data de sua publicação, ocorrida um ano e quatro meses após a inscrição de Camila”, acrescenta a nota.

Ainda de acordo com a equipe de Camilla, “é totalmente incorreto informar que a Doutora Camilla é uma ‘suposta dentista’ ou que tenha exercido seu trabalho de forma irregular”.

A profissional não se manifestou, contudo, sobre as infecções denunciadas pelas pacientes dela e nem sobre o surto de micobactéria confirmado pela prefeitura de Belo Horizonte. O espaço segue aberto em caso de nova manifestação.

Larissa Reis

Graduada em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2021. Vencedora do 13° Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog. Também participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022.

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ