Pesquisar
Close this search box.

Fotógrafo que abusou de criança na Grande BH é indiciado por estupro e pedofilia

Por

polícia civil fotógrafo estuprou criança é indiciado
Polícia Civil indiciou fotógrafo que estuprou criança em Betim (Reprodução/PCMG)

A Polícia Civil indiciou um fotógrafo de 42 anos após investigação sobre o abuso sexual de uma criança de 10 anos em Betim, região metropolitana de Belo Horizonte. O crime teria acontecido durante um ensaio fotográfico, em outubro de 2023. Ele foi preso no dia 6 de dezembro.

Com base no inquérito, o homem foi indiciado pelos crimes de estupro contra menor de 18 anos e maior de 14 anos, estupro de vulnerável e pedofilia.

No ano passado, após a repercussão da prisão do fotógrafo, outras oito vítimas registraram denúncia contra ele. Um dos abusos, cometido contra uma criança de 9 anos, teria acontecido em 2023. As outras vítimas tinham entre 11 e 14 anos à época, e hoje são maiores de idade.

Os policiais fizeram uma busca na casa e estúdio do suspeito e apreenderam equipamentos eletrônicos. A perícia encontrou vídeos com cenas de sexo explícito com crianças.

Relembre o caso

De acordo com a Polícia Civil, a criança de 10 anos acompanhava os tios e uma prima de 3 anos em um ensaio fotográfico conduzido pelo homem. Quando a família chegou no estúdio, o fotógrafo se interessou pela mais velha e a convidou para fazer fotos individuais, e a levou para um vestiário para que ela se trocasse.

“Eles ficaram sozinhos e o homem pediu para que a garota se despisse em sua frente. A criança, receosa, acatou a ordem desse homem”, informa.

“E quando ela estava só de calcinha, ele colocou as mão na região da genital da criança e encostou a boca próximo a orelha da menina praticando ato libidinoso. Depois [o fotógrafo] ainda pediu que a garota dissesse que ‘ela era só dele’”, explicou a delegada Karla Moreira.

Depois que a família voltou para casa, a criança apresentou um comportamento diferente. Ela chorava algumas vezes e ficava agressiva. Com isso, os pais perguntaram o que tinha acontecido e a criança relatou a violência.

Com PCMG

Andreza Miranda

Graduada em Jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2020. Participou de duas reportagens premiadas pela CDL/BH (2021 e 2022); de reportagem do projeto MonitorA, vencedor do Prêmio Cláudio Weber Abramo (2021); e de duas reportagens premiadas pelo Sebrae Minas (2021 e 2023).

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ