Greve: Justiça concede liminar e metrô de BH deve funcionar nos horários de pico

metrô de bh
A mobilização dos trabalhadores foi confirmada pelo Sindimetro-MG (Amanda Dias/BHAZ)

O desembargador Fernando Luiz Gonçalves Neto, do TRT (Tribunal Regional do Trabalho), concedeu liminar que garante o funcionamento do metrô de Belo Horizonte em horários de pico. A decisão é favorável à CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos), cujos trabalhadores devem entrar em greve ainda nas primeiras horas desta quinta-feira (23).

A mobilização dos trabalhadores foi confirmada pelo Sindimetro-MG (Sindicato dos Empregados em Transportes Metroviários e Conexos de Minas Gerais) no início da semana. Uma assembleia realizada por eles na Estação Central de metrô, no Centro da cidade, definiu a paralisação.

Ainda na segunda-feira, o presidente do Sindimetro-MG, Romeu José Machado Neto, divulgou vídeo em que confirma a greve e também convoca os trabalhadores para uma manifestação na Cidade Administrativa. O protesto deve ocorrer na quinta-feira, a partir das 13h, e tem como foco marcar posição contra a privatização do metrô de BH.

“É muito importante a presença maciça da categoria nessa assembleia. Mas mais do que importante do que a participação é também a adesão [à greve] de todos os trabalhadores e trabalhadoras que estão em risco agora. Não é salário, não é benefício, não é direito: é emprego. É isso que está sendo ameaçado e não podemos admitir isso”, disse Romeu ainda na segunda.

Liminar

A decisão liminar que garante o funcionamento do metrô de BH em horários de pico determina que a operação metroviária ocorra de 05h30 às 10h e das 16h30 às 20h, a partir da quinta-feira, o que inclui o próprio dia 23. Já na sexta-feira (24), e no dia 31 de dezembro, a operação de ocorrer de 05h30 às 10h e das 16h30 às 23h.

Na decisão do desembargador Fernando Luiz Gonçalves Neto, ele citou a pandemia de Covid-19 e os trabalhadores de serviços essenciais que precisam do transporte público para ir ao trabalho, o que inclui profissionais da saúde. Em caso de descumprimento, ele determinou o pagamento de multa de R$ 30 mil. A CBTU informou, por meio de nota, que considera o valor baixo e que irá pedir a revisão considerando o fluxo de 100 mil usuários que transitam por meio do metrô diariamente.

Roberth Costaroberth.costa@bhaz.com.br

Editor do BHAZ desde junho de 2018 e repórter desde 2014. Participou do processo de criação do portal em 2012. É formado em Publicidade e Propaganda pela Faculdade Promove. Participou de reportagens premiadas pela CDL/BH em 2018, 2019 e 2020, além de figurar entre os finalistas do prêmio Sindibel, em 2019, e Sebrae de Jornalismo, em 2021.

Comentários