Covid-19: Vacinação infantil começa em BH e não tem reações adversas até o momento

Vacinação infantil em BH
Prefeitura também abriu datas para repescagem do público (Divulgação/Rodrigo Clemente/PBH)

A campanha de vacinação infantil em BH contra Covid-19 começou nesse sábado (15). A PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) informa que, até ontem (16), o imunizante não causou reações adversas nos pequenos. Cerca de 10.800 doses foram enviadas pelo Ministério da Saúde.

Os pais ou responsáveis devem levar os pequenos para receber a primeira dose em um dos 85 Centros de Saúde da capital mineira. Inicialmente, foram convocadas crianças com comorbidades, deficiência permanente, indígenas ou quilombolas de 5 a 11 anos, completos até a data da vacinação. Estima-se que o grupo em questão para a vacinação infantil em BH seja formado por 13.500 pessoas.

A PBH revelou que as equipes encarregadas entrarão em contato com as famílias daqueles que têm cadastro nos Centros de Saúde para, então, realizar o agendamento. No entanto, caso a criança não tenha cadastro, é necessário que os pais entrem em contato com a unidade mais próxima para iniciar o esquema vacinal. Confira telefones e endereços aqui.

Efeitos colaterais

Em boletim, a prefeitura esclareceu que a maioria dos efeitos causados pela vacina contra Covid-19 são classificados como leves. “Todas as vacinas contra a Covid-19 em uso no país podem apresentar efeitos adversos, sendo a maioria absoluta classificada como leve. Os efeitos leves e transitórios podem durar de 24 a 48h e as equipes de vacinação são orientadas e preparadas para repassar todas as informações à população no momento da aplicação do imunizante”, diz a PBH.

“Caso o público apresente alguma reação adversa, os pais devem procurar a unidade de saúde para notificação do caso e orientações”, orienta a administração municipal. Ainda, o órgão reforça que é imprescindível a vacinação contra a Covid-19, “já que esta é a medida mais eficaz no combate à infecção pelo Sars-CoV-2”, conclui nota.

A PBH afirma detalha que não haverá reserva do imunizante. Assim sendo, a primeira remessa da vacina para o público infantil da Pfizer que foi recebida será usada na aplicação da primeira dose.

Repescagem

A prefeitura de Belo Horizonte detalha que, nesta segunda (17) e terça-feira (18), haverá ações de repescagem para vacinar crianças com comorbidades, deficiência permanente, indígenas ou quilombolas de 11 a 5 anos, completos até a data da vacinação. A princípio, a aplicação das doses será realizada em nove escolas municipais da capital, uma em cada regional de BH.

Na vacinação infantil em BH, nesse sábado (15), 2.843 pequenos receberam doses do imunizante contra Covid-19. Nos dias de repescagem, a criança deve estar acompanhada de pais ou responsáveis e apresentar documentação. Caso esteja acompanhada de terceiros, é necessário apresentar termo de autorização disponível no portal da PBH. Veja abaixo:

  • Documento de identificação com foto ou certidão de nascimento;
  • CPF;
  • Comprovante de endereço;
  • Cartão de vacina.

A imunização de crianças acamadas ou com mobilidade reduzida terá início nesta segunda-feira (17). Nesse domingo (16), não houve vacinação.

Menino autista estreia vacinação em MG

Nessa sexta-feira (14), o pequeno Miguel Bittencourt estreou a vacinação de crianças contra a Covid-19 em Minas Gerais. O menino de dez anos é autista e vive em Vespasiano, na Grande BH. Para ele e para a mãe, a alegria de receber a “picadinha” foi enorme.

“Estou me sentindo muito feliz. A vacinação é indispensável para reduzir a transmissão. Eu não tive dúvidas sobre trazer o meu filho”, declarou Deusmara Andrade, mãe do menino Miguel.

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, a previsão é de que o primeiro lote permita a vacinação de quase 6% das crianças no estado, que possui a segunda maior população infantil do Brasil. A chegada de uma nova remessa é esperada para segunda-feira (17).

Edição: Vitor Fernandes
Nicole Vasquesnicole.vasques@bhaz.com.br

Graduanda em Jornalismo pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022.

Comentários