Vacinação reduz em seis vezes mortes por Covid-19 em região de Minas

triângulo do norte
90% da população já recebeu a primeira dose na macrorregião de saúde (Araípedes Luz/Secretaria de Governo e Comunicação)

A macrorregião de saúde Triângulo do Norte começa a apresentar os resultados positivos da vacinação contra a Covid-19. Entre fevereiro e março de 2021, a taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) que assistia pacientes infectados, encontrava-se na capacidade máxima. Um estudo aponta que, no cenário atual, o número de mortes é seis vezes menor e comprova a eficácia da imunização coletiva.

A vacinação contra a Covid-19 na macrorregião teve início na segunda quinzena de janeiro do ano passado. Segundo dados do vacinômetro da SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais), no final de março pouco mais de 100 mil doses haviam sido aplicadas.

Hoje, o Triângulo do Norte já registra 3 milhões de doses da vacina aplicadas, sendo que 90% correspondem à primeira dose ou dose única, 87% à segunda dose e 59% à cobertura da dose de reforço, considerando pessoas acima de cinco anos.

Declínio das mortes

Mariana Menezes, coordenadora da Vigilância Epidemiológica da STS (Superintendência Regional de Saúde) Uberlândia, comparou os dados no primeiro trimestre de 2021 e de 2022. Ela considerou a vacinação, os casos confirmados e mortes registradas, além de notificações por SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) nos 27 municípios da macrorregião.

“Apesar de termos o dobro de casos de Covid-19 confirmados neste ano, o número de óbitos é seis vezes menor, comparando os três primeiros meses de 2021 e 2022. Fazendo uma análise ampla e considerando os estudos científicos neste sentido, a ampliação da cobertura vacinal é o fator que contribuiu para a redução de casos graves, internações, e consequentemente, para evitar óbitos por coronavírus”, diz a profissional.

Em janeiro, fevereiro e março de 2021, 59.380 pessoas tiveram diagnóstico confirmado para a doença. Já no mesmo período de 2022, foram 121.003, quase o dobro do ano anterior. A diferença é que, no ano passado, foram 1.682 mortes e, neste, o número caiu substancialmente para 278.

Desafios

Marcelo José Pires Ferreira, superintendente regional de Saúde de Uberlândia, destaca que o avanço na vacinação não interrompe novos desafios. Hoje, a dificuldade está na aplicação da dose de reforço nos adultos e a primeira dose em crianças, que segue abaixo do esperado.

Mesmo sendo uma das macrorregiões de saúde com as melhores coberturas vacinais em Minas, estima-e que 331 mil pessoas ainda precisam receber a primeira dose de reforço. Em relação às crianças, 35% ainda não tomaram a primeira dose do imunizante. Isso significa que mais de 37 mil pessoas na faixa etária dos 5 aos 11 anos ainda não iniciou o esquema vacinal, segundo o vacinômetro estadual.

“É importante a população ficar atenta ao cartão de vacinação e verificar o intervalo de aplicação das doses, pois o efeito da vacina para a redução de casos graves e óbitos está diretamente associado ao esquema completo da imunização”, orienta. Marcelo reforça que as vacinas estão disponívis em todos os municípios do Triângulo do Norte.

Prevenção

O incentivo à imunização segue firme pelas autoridades de saúde. Na semana passada, a SRS Uberlândia e a GRS (Gerência Regional de Saúde) Ituiutaba, no Triângulo Norte, entregaram mais de 30 mil doses aos municípios para a aplicação da 4ª dose nos adultos. O público foi ampliado para indivíduos acima de 70 anos.

Com a aproximação do meio do ano, as doenças respiratórias batem à porta e são capazes de potencializar as angústias da Covid-19. Especialmente neste período, é fundamental manter o cartão de vacinação em dia. Mesmo fora da macrorregião, como em Belo Horizonte, a vacinação contra a influenza segue disponível nos centros e postos de saúde.

No dia 4 deste mês, a campanha de vacinação contra o sarampo também começou na capital mineira. Além de crianças, trabalhadores da saúde deverão ser imunizados nos 152 centros de saúde do município, que estão preparados para receber a população até 26 de junho.

Com Agência Minas

Nicole Vasquesnicole.vasques@bhaz.com.br

Graduanda em Jornalismo pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022.

Comentários